Crise/Doações

Crise diminuiu ajuda financeira aos países pobres em 2011, diz OCDE

Peruanas que moram em favela nos arredores de Lima e fazem parte da grande população economicamente vulnerável do país.
Peruanas que moram em favela nos arredores de Lima e fazem parte da grande população economicamente vulnerável do país. REUTERS/Mariana Bazo

A crise econômica mundial foi a principal causa para a diminuição da ajuda aos países pobres em 2001, a primeira redução desde 1997, de acordo com os dados divulgados nesta terça-feira pela OCDE. O estudo revela ainda que os planos de austeridade nos países ricos também vão comprometer a ajuda financeira aos países mais pobres do mundo nos próximos anos.

Publicidade

De acordo com um balanço provisório sobre 2011, a OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - estima que a ajuda pública ao desenvolvimento, conhecida pela sigla APD, diminuiu cerca de 2,7% em relação ao ano anterior ( 2010), interrompendo uma sucessão de aumentos anuais.

“Com excessão dos anos marcados por operações excepcionais de alívio das dívidas, trata-se da primeira redução desde 1997”, assinala a Organização.

Os países que mais diminuíram suas contribuições foram os mais fortemente atingidos pela crise econômica  como a Grécia (-39,3%), e a Espanha (-32,7%).

As nações mais ricas também registraram uma diminuição de sua ajuda para os países mais necessitados. A França, quarto país em volume de doações, reduziu em 5,6% sua ajuda. O país que mais contribui, os Estados Unidos, também registraram uma queda de 0,9% .

Em contrapartida, a Alemanha, o segundo maior doador , aumentou em 5,9% o envio de ajuda financeira aos países pobres.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI