Acesso ao principal conteúdo
Portugal/Economia

FMI autoriza nova parcela de resgate em Portugal

Nova greve geral em Portugal pede fim das políticas de austeridade nesta sexta-feira.
Nova greve geral em Portugal pede fim das políticas de austeridade nesta sexta-feira. EUTERS/Jose Manuel Ribeiro
Texto por: RFI
2 min

O Fundo Monetário Internacional, FMI, deu sinal verde na noite desta sexta-feira para a liberação de uma nova parcela equivalente a 1,9 bilhão de euros em linha de crédito para Portugal, que vive mais um dia de paralisações.

Publicidade

O montante é parte do resgate financeiro no valor total de 78 bilhões de euros aprovado pelo Banco Central Europeu, BCE, a União Europeia, UE, e o FMI. As condições imposta por seus credores para efetuar o repasse dos recursos vêm obrigando o governo português de centro-direita, do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, a implantar uma série de medidas de austeridade que são alvo de protestos.

Nesta sexta-feira, Portugal viveu mais um dia de greve convocadas pela federação de funcionários e os dois principais sindicatos do país contra o plano de restrições orçamentarias. Escolas e tribunais fechados, serviços públicos afetados e mobilizações contra os cortes de salários e as reduções nos cofres públicos tiveram forte adesão em todo o país.

Esse é o primeira paralisação depois da aprovação do orçamento português para 2014 na metade de outubro. O projeto prevê o aumento da carga horária semanal de 35h para 40h e cortes de 10% nas pensões e aposentadorias e ainda reduções de 2,5% a 13% para os salários mensais acima de 600 euros.

Em 20014, o governo que já enfrentou quatro greves gerais em dois anos, tem o desafio de reduzir o déficit público para 4% do PIB contra os 5,5% registrados este ano e para isso vai fazer um corte de 2% no funcionalismo público.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.