Futebol/Discriminação

Federação Francesa de Futebol é acusada de discriminação

Laurent Blanc, técnico da seleção francesa teria aprovado uma política de cotas étnicas no time.
Laurent Blanc, técnico da seleção francesa teria aprovado uma política de cotas étnicas no time. Reuters

Segundo artigo publicado no site francês Mediapart, dirigentes da FFF e o técnico da seleção francesa, Laurent Blanc, teriam aprovado uma política de cotas para reduzir o número de descendentes de negros e árabes nas escolas de futebol do país. A federação e a ministra francesa do Esporte, Chantal Jouanno, reagiram às acusações.

Publicidade

Mais uma polêmica na Federação Francesa de Futebol (FFF). Após o fiasco da seleção francesa na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, o organismo controlador do futebol francês está sendo acusado de promover discriminação. Tudo porque na tarde desta última quinta-feira o site francês "Mediapart" divulgou um artigo acusando a federação e o treinador dos "Bleus", Laurent Blanc, de costurar uma política de cotas discriminatórias nos centros de formação do país. Segundo o site, o objetivo da federação é de selecionar, já na faixa etária de 12 a 13 anos, os jogadores negros e árabes, não ultrapassando uma porcentagem de 30%.

Ainda ontem, a Federação Francesa de Futebol reagiu às acusações do Mediapart. Segundo Philippe Tournon, assessor de imprensa da FFF e porta-voz do técnico Laurent Blanc, as conclusões do site Mediapart são exageradas e se trata de um outro problema: a questão da dupla nacionalidade. "O problema abordado por Laurent Blanc é o de jogadores que possuem duas nacionalidades, que passam três anos em pré-formação na França e depois jogam em outras seleções", explicou o dirigente. Nessa situação, os atletas têm até a idade de 21 anos para optar por qual seleção jogar, o que não os impede de realizar sua formação profissional e até jogar pelas seleções de base do outro país.

O escândalo chegou até a mais alta instância do esporte francês. Nesta sexta-feira, Chantal Jouanno, ministra do Esporte, declarou ao diário esportivo L'Équipe que "a discriminação não tem lugar no esporte, nem nas arquibancadas e nem nos centros de formação", e que ela irá pedir uma investigação sobre o caso.

Na tarde desta sexta-feira, Laurent Blanc convocou uma coletiva de imprensa em Bordeaux, para comentar o artigo do "Mediapart". O técnico da seleção francesa disse que não havia motivos para se defender. Ele também fez coro à resposta dada pela Federação Francesa de Futebol, ao afirmar que o problema é a dupla nacionalidade. "Eu não posso falar de uma coisa que não existe. Como vocês podem achar que tivemos uma ideia dessas? Isso é um absurdo!", disse Blanc ao fim da coletiva.

Flávio Botelho, em colaboração para a RFI

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI