Futebol/África

Com medo do ebola, Marrocos não vai sediar a Copa da África de 2015

Seleção do Marrocos durante a Copa da África de 2012.
Seleção do Marrocos durante a Copa da África de 2012. Reuters

A edição de 2015 da Copa da África não mais ser sediada pelo Marrocos. A decisão foi confirmada nesta terça-feira (11) pela Confederação Africana de Futebol. A entidade aceitou o pedido do país, que se recusou a sediar as partidas da competição temendo a disseminação do vírus ebola, mas puniu a seleção marroquina com a exclusão do torneio.  

Publicidade

Na queda de braço entre o Marrocos e a Confederação Africana de Futebol, os marroquinos saíram perdendo. As autoridades marroquinas pediram o adiamento da competição por causa da epidemia de ebola que atinge o continente. O país pretendia sediar a competição apenas em 2016.

Para o organismo africano, não cabe ao país anfitrião decidir sobre o calendário da Copa da África, que está prevista para ocorrer entre 17 de janeiro e 8 de fevereiro de 2015. O cancelamento ou o adiamento do torneio não era considerado como uma possibilidade pela CAF.

Diante da recusa do Marrocos, o Comitê Executivo da CAF diz que estuda “algumas candidaturas de associações nacionais que estão dispostas a realizar a competição em 2015 nas datas já programadas”, informa comunicado. “Em breve, informaremos sobre a escolha do local e sobre a data do sorteio da competição”, diz a CAF.

Além de ser punida com a exclusão da Copa da África, a Federação Real de Futebol do Marrocos pode ainda sofrer outras sanções pelo descumprimento “do regulamento e das cláusulas contratuais”. Para escapar a esse regulamento, o Marrocos diz que foi motivado “por motivo sanitário de força maior”.

Segundo últimos dados da Organização Mundial da Saúde, a epidemia de ebola já matou quase 5 mil pessoas em oito países. Libéria, Serra Leoa e Guiné são os mais atingidos. 13 mil casos foram registrados.

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI