Acesso ao principal conteúdo
Europa/nuvem vulcânica

Voos testes de companhias aéreas não apontam anomalias

Um Airbus A320 na pista de decolagem do aeroporto Roissy - Charles de Gaulle.
Um Airbus A320 na pista de decolagem do aeroporto Roissy - Charles de Gaulle. Air France
Texto por: Taíssa Stivanin | Cíntia Cardoso
3 min

Companhias aéreas realizam voos sem passageiros para analisar o impacto da poeira vulcânica no funcionamento dos aviões. Para a maioria, as condições são atmosféricas são “satisfatórias.”

Publicidade

O caos aéreo na Europa entra no seu quarto dia. A poeira expelida pelo vulcão na Islândia continua a se espalhar pelos céus europeus e a ordem é manter a maioria das aeronaves no solo. Sem previsão de volta à normalidade do tráfego aéreo, as companhias aéreas tomaram a iniciativa de realizar testes para avaliar os possíveis estragos causados pelo poeira de origem vulcânica nas aeronaves. Formadas por partículas muito finas, as cinzas podem entrar nas turbinas, derreter e obstruir o motor, dizem os especialistas.

De acordo com a Direção Geral de Aviação Civil, só a Air France deveria efetuar cinco voos de avaliação, sem passageiros a bordo, ainda neste domingo. O primeiro, que decolou no início da tarde, não detectou nenhuma anomalia. A Lufthansa, a Air Berlin e a KLM também fizeram testes, e a conclusão foi que as condições atmosféricas eram "satisfatórias." As cinzas não foram detectadas numa altitude superior a 8 mil metros. A British Airways também realizou um voo teste.

O Sindicato Nacional de Pilotos de Linha francês, o maior da categoria, criticou o excesso de precaução, que causou a paralisação do espaço aéreo europeu, sem embasamento científico. O Conselho de Aeroportos Internacionais Europeu também criticou as medidas que provocaram a interrupção do tráfego aéreo.Desde quinta-feira, cerca de 30 países fecharam, pelo menos parcialmente, seu espaço aéreo. A França decidiu, neste domingo, manter os aeroportos situados no norte do país, acima de Bordeaux, fechados até terça-feira.

Na Inglaterra, a situação é a mesma. O governo decidiu cancelar todos os voos decolando de Londres até segunda-feira, às 6h. Já na Espanha, todos os aeroportos foram reabertos. Para conseguir embarcar passageiros bloqueados, o jeito foi criar soluções alternativas. A Air France disponibilizou um ônibus para levar os turistas de Paris até aeroportos no sudoeste do país, como o de Toulouse, que está funcionando normalmente.

Nesta segunda-feira os ministros dos Transportes dos países membros da União Europeia devem se reunir para discutir a situação. De acordo com a Eurocontrol, a agência responsável pela segurança aérea do continente, só no domingo 20 mil voos foram cancelados. A agência confirmou impactos totais ou parciais no espaço aéreo de 23 países.

O fechamento dos aeroportos europeus têm um efeito cascata pelo resto do mundo. As ligações aéreas entre a Europa e a América do Norte caíram drasticamente. Na Ásia, a China anunciou o cancelamento de todos os voos do país para o continente europeu. Cerca de 63 mil voos foram cancelados na Europa entre quinta-feira e domingo. O fechamento do espaço aéreo causou um prejuízo de mais de U$ 200 milhões.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.