Economia/Europa

Paris e Berlim propõem sanções a países europeus com orçamentos instáveis

Os ministros das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schauble, e da França, Cristine Lagarde.
Os ministros das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schauble, e da França, Cristine Lagarde. Reuters

Memorando prevê punição a governos que não respeitarem o equilíbrio no orçamento e nas contas públicas previsto pelo Pacto Europeu de Estabilibade.

Publicidade

A França e a Alemanha assinaram, nesta quarta-feira, um memorando comum em que propõem uma série da sanções contra os países que não respeitarem o equilíbrio no orçamento e nas contas públicas previsto pelo Pacto Europeu de Estabilibade.

Em uma coletiva de imprensa em Paris, os ministros das Finanças da França e da Alemanha defenderam a imposição de sanções políticas, como a suspensão do direito de voto junto à União Europeia dos países infratores.

Paris e Berlim também afirmaram estudar a adoção de sanções financeiras. Uma ideia seria que o país que não respeite o pacto seja obrigado a fazer um espécie de depósito de garantia.

O Pacto de Estabilidade Europeu estabelece que o déficit no orçamento não deve ultrapassar 3% do PIB, o Produto Interno Bruto de cada país, e que a dívida pública de cada Estado não deve ser superior a 60% do PIB.

Nos últimos meses, diversos países europeus revelaram déficits gigantescos, muito maiores do que os permitidos pela União Europeia, entre eles Grécia, Espanha e Portugal.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI