Acesso ao principal conteúdo
Suécia/Eleições

Extrema-direita pode estrear no Parlamento da Suécia

Jimmie Akesson, líder do partido de extrema direita SD-Democratas da Suécia.
Jimmie Akesson, líder do partido de extrema direita SD-Democratas da Suécia. Reuters
Texto por: Elcio Ramalho
2 min

Se as pesquisas de intenção de voto para as legislativas deste domingo se confirmarem, a extrema direita deve entrar pela primeira vez no Parlamento do país.  

Publicidade

Todas as sondagens indicam que o partido de extrema direita SD - Democratas da Suécia - pode conseguir até 4% dos votos na votação deste fim de semana, o que garante a eleição de um parlamentar.

Otimista, o líder do partido, Jimmie Aakesson, espera ser o fiel da balança entre os partidos da direita e esquerda tradicionais no país e vai defender com unhas e dentes sua política sobre imigração diante do governo.

O vínculo da imigração com a criminalidade é um dos pontos fortes da campanha do partido SD. Em um filme, uma idosa caminhando com um andador é mostrada ao lado de muçulmanas com burca empurrando carrinhos de bebê. A mensagem pede para que os eleitores escolham entre o financiamento dos programas para atrair imigrantes ou o financiamento das aposentadorias.

Na Suécia 19% da população é de origem estrangeira. Nos últimos cinco anos, o número de imigrantes no país quase dobrou, passando de 65 mil para 102 mil pessoas. O atual primeiro-ministro, o conservador Fredrik Reinfeldt, afirmou que se a extrema direita entrar no Parlamento, será muito mais difícil governar a Suécia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.