Espanha/Eleições

Espanha inicia campanha para legislativas com desemprego recorde

O socialista Alfredo Perez Rubalcaba (à esquerda) e o líder do Partido Popular, Mariano Rajoy.
O socialista Alfredo Perez Rubalcaba (à esquerda) e o líder do Partido Popular, Mariano Rajoy. REUTERS/Stringer
3 min

Começou nesta sexta-feira a campanha para as eleições legislativas na Espanha, que acontecem no próximo dia 20 de novembro. Com quase 5 milhões de desempregados e a economia fragilizada, os debates entre os principais candidatos serão marcados por propostas para contornar os efeitos da crise.

Publicidade

Luisa Belchior, de Madri para a RFI

A campanha eleitoral na Espanha começou à meia-noite desta sexta-feira em um clima de incerteza. Os candidatos, encabeçados pelo líder da oposição conservadora José Mariano Rajoy, 56 anos, e o socialista Alfredo Pérez Rubalcaba, 60, terão até o próximo dia 18 para tentar ganhar o voto dos eleitores com comícios ao redor do país.

Pelo que indicam as pesquisas, a maioria dos espanhóis já se decidiu pelo Partido Popular, de Rajoy. Ele tem 46% das intenções de voto, porcentagem que foi ganhando na carona do fracasso do governo socialista em tirar o país da crise.

Depois de um ano de aumento recorde do desemprego e duras medidas de ajuste fiscal, a população se voltou contra a gestão do atual primeiro-ministro, José Luis Rodríguez Zapatero. Segundo uma pesquisa do jornal El Mundo, cerca de 1 milhão de pessoas que votaram no Partido Socialista nas últimas eleições vão transferir seu voto este ano ao Partido Popular.

Na prática, o que mais deve mudar com Rajoy são as políticas sociais, já que, como Zapatero, ele deve seguir as políticas de ajuste fiscal no âmbito econômico. Em seu programa de governo, anunciado na semana passada, Rajoy afirma que vai cumprir os objetivos de déficit impostos pela União Europeia. Diz, ainda, que pretende endurecer a lei de aborto e do casamento homossexual, que foram flexibilizadas por Zapatero.

O candidato conservador também propõe tratamento mais severo aos imigrantes, reduzindo as chances de concessão de vistos de residência e de trabalho aos estrangeiros, além de impor um exame de conhecimento histórico e cultural da Espanha para quem pedir a nacionalidade espanhola. Esses temas devem dominar o único debate na televisão previsto entre Rajoy e Rubalcaba, na próxima segunda-feira.

Em um ano de crise, a campanha vai custar aos socialistas e conservadores um total de 41,6 milhões de euros, cerca de 99 milhões de reais, conforme divulgaram os dois partidos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI