Rússia/Putin

Aumentam os boatos na Rússia sobre a saúde de Putin

Os boatos que circulam em Moscou dizem que os problemas de saúde do presidente russo Vladimir Putin o obrigaram a cancelar todas as suas viagens oficiais nas últimas semanas.
Os boatos que circulam em Moscou dizem que os problemas de saúde do presidente russo Vladimir Putin o obrigaram a cancelar todas as suas viagens oficiais nas últimas semanas. REUTERS/Sergei Karpukhin

Os boatos sobre a saúde do presidente Vladimir Putin não páram de circular na Rússia. Ele adiou todas as suas viagens ao exterior nas últimas semanas e raramente sai de sua residência perto de Moscou, aparentemente devido a problemas de coluna.

Publicidade

O presidente russo, que há anos mantém uma imagem de homem forte e esportivo, sofre de uma "antiga lesão" na coluna vertebral "que piorou após um voo de asa-delta" na Sibéria no início de setembro, segundo o jornal russo Vedomosti, que cita fontes próximas do Kremlin.

"O presidente faz atualmente um tratamento profilático e os médicos recomendam que ele renuncie a todos os voos que são prejudiciais para sua coluna vertebral", disse uma das pessoas citadas pelo jornal.

Vladimir Putin, que normalmente faz de duas a quatro viagens por mês dentro da Rússia e várias visitas a países estrangeiros, anulou em outubro uma viagem à Sibéria onde devia inaugurar uma grande reserva de gás natural. O jornal Vedomosti também aponta que o presidente fez uma "pausa nas suas visitas ao exterior".

Dimitri Peskov, o porta-voz de Putin, confirmou que o presidente sofre de uma leve lesão esportiva depois que o líder russo foi visto mancando durante uma cúpula dos países da Ásia-Pacífico em Vladvostok em setembro. Mas Peskov desmente que essa lesão possa afetar o trabalho do presidente.

A última viagem oficial de Vladimir Putin dentro da Rússia data do dia 4 de outubro, quando ele foi até a região de Ulianovsk (sul). Sua última visita ao exterior foi feita no dia 5 de outubro no Tadjiquistão. Desde o dia 12 de outubro o presidente não vai ao Kremlin, que é sua residência oficial, segundo um boletim com a agenda do líder russo publicado na Internet.

Dimitri Peskov garante que Putin prefere permanecer fora de Moscou para não causar engarrafamentos na capital, inevitáveis devido às medidas de segurança colocadas em prática a cada deslocamento do presidente. Mas essa explicação não convence os russos.

Em blogs e redes sociais, muitos internautas dizem que se o presidente não estiver em condições de governar o país ele deve se demitir. "O presidente é responsável pela tomada de decisões que influenciam a sociedade, e a eficácia do funcionamento do Estado depende de seu estado de saúde", enfatizou o analista Alexei Makarkine, do Centro de tecnologias políticas,  em um programa na rádio Echo de Moscou.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI