Acesso ao principal conteúdo
Eleições/Chipre

Candidato de direita vence 1° turno da eleição presidencial no Chipre

O candidato à presidência do Chipre Nicos Anastasiades faz uma declaração na sede de seu partido neste domingo 17 de fevereiro; ele venceu com folga o primeiro turno da eleição.
O candidato à presidência do Chipre Nicos Anastasiades faz uma declaração na sede de seu partido neste domingo 17 de fevereiro; ele venceu com folga o primeiro turno da eleição. Reuters
Texto por: RFI
3 min

O candidato de direita Nicos Anastasiades venceu o primeiro turno das eleições presidenciais do Chipre, realizado neste domingo. Ele vai enfrentar no segundo turno o candidato comunista Stavros Malas. A votação acontece em plena negociação sobre um plano de resgate da União Europeia para evitar a falência do país.

Publicidade

O conservador Nicos Anastasiades obteve 45,4% dos votos, enquanto Stavros Malas, apoiado pelos comunistas atualmente no poder, conquistou 26,9%. O segundo turno será realizado no próximo domingo.

Essas eleições acontecem em um contexto de grave crise econômica e de impasse nas negociações para uma eventual reunificação da ilha, dividida em duas desde a invasão turca de 1974.

Os economistas preveem uma retomada da economia do país somente a partir de 2015 e o desemprego não para de aumentar.

O Chipre negocia desde junho um plano de resgate internacional no valor de € 17 bilhões - equivalente ao seu produto interno bruto anual.

Nicos Anastasiades, chefe do partido Disy, se apresentou durante a campanha como o candidato mais apto a negociar esse empréstimo considerado crucial para a sobrevivência da ilha. Ele não exclui a possibilidade de adotar medidas de austeridade ainda mais severas do que as que já foram colocadas em prática.

Anastasiades também foi o único a ter apoiado em 2004 um projeto de reunificação proposto pela ONU. Esse plano foi aceito pelos chipriotas da parte turca, mas rejeitado pelos cidadãos da metade de origem grega.

Anastasiades foi muito criticado pelo seu pragmatismo, e hoje preconiza um consenso político sobre esse tema, mas sem apresentar uma estratégia clara.

Seu oponente no segundo turno, Stavros Malas, é um pesquisador em genética de 45 anos que já foi ministro da Saúde. Ele é apoiado pelo partido comunista Akel, do atual presidente Demetris Christofias, e também é partidário do plano de resgate internacional.

Em terceiro lugar, com 24,9% dos votos, o candidato independente Giorgos Lillikas tinha o apoio dos socialistas e era o único que prometia aproveitar as reservas de gás descobertas ao largo do Chipre para evitar as medidas de austeridade ligadas a um empréstimo internacional.

Ele ainda não deu nenhuma indicação sobre um eventual apoio a um dos dois candidatos que disputam o segundo turno.

Segundo as autoridades eleitorais, 83% dos cerca de 545 mil eleitores de Chipre compareceram às urnas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.