Acesso ao principal conteúdo
Rússia/Grã-Bretanha

Morte de milionário russo Berezovski ainda é um mistério

O magnata russo Boris Berezovsky em foto tirada em 3 de novembro de 2011.
O magnata russo Boris Berezovsky em foto tirada em 3 de novembro de 2011. REUTERS/Andrew Winning
3 min

O mistério continua sobre a morte do milionário russo Boris Berezovski, opositor do presidente Vladimir Putin, um dia após a polícia britânica ter encontrado o corpo dele em sua residência perto de Londres. Os investigadores descartaram a presença de substâncias radioativas e amigos próximos evocam a tese de suicídio.  

Publicidade

A polícia cercou durante toda a noite a residência do milionário em Ascot, uma cidade ao sudoeste de Londres. Os especialistas em detectar substâncias nucleares, radiológicas, biológicas e químicas trabalharam durante toda a noite no local.

NA manhã de domingo, o departamento de polícia responsável pela investigação informou que “nada de suspeito tinha sido encontrado na casa”. As investigações continuam para esclarecer a morte de Berezovski, considerada ainda sem explicação.

O milionário, conhecido por ser um dos maiores adversários do presidente russo, era uma das principais lideranças de um grupo de exilados que militam contra Vladimir Putin, ao qual pertencia o ex-espião Alexandre Litvinenko, morto por envenenamento por Polônio em 2006. As investigações sobre a mote do ex-agenda ds serviços de informação da Rússia continuam na Grã-Bretanha.

A imprensa russa lembrou neste domingo que Boris Berezovski já tinha sido vítima de duas tentativas de assassinato; uma delas na Rússia, onde seu motorista foi decapitado e a segunda em 2007, quando foi alertado de um plano pelo serviço secreto britânico.

Apesar de que nenhuma pista tenha sido descartada, a tese de suicídio foi evocada por vários veículos de imprensa que se referem ao estado depressivo manifestado pelo magnata. Pessoas próximas de Boris Berezovski desmentem essa hipótese.

Logo após a morte de Berezovski, no sábado, o advogado russo Alexandre Dobrovinski, amigo do milionário, disse à uma rede de tevê russa ter recebido um telefonema confirmado o suicídio dele. “Nos últimos tempos ele estava num estado lamentável, cheio de dívidas e destruído... ele foi obrigado a vender obras de arte”, disse o advogado.

O porta voz de Boris, Tim Bell, disse ao Sunday Telegraph que o oligarca estaca “deprimido” depois de ter perdido um processo em Londres contra o milionário russo Roman Abramovitch, proprietário do clube britânico Chelsea.

Berezovski acusava seu ex-amigo e sócio Abramovitch de ter vendido a ele, sob ameaça, em 2001 sua parte no grupo petrolífero Sibnet pelo montante de 1,3 bilhão de dólares, um preço muito abaixo do valor da empresa.

Ele foi obrigado a pagar 35 milhões de libras (41 milhões de euros) de custos judiciais a Abramovich.
Segundo o jornal The Observer, as dificuldades financeiras de Berezovski aumentaram depois que sua ex-mulher Elena Gorburova, de 43 anos, de quem ele havia se separado recentemente, reclamava 5 milhões de libras pela venda de uma propriedade no interior da Inglaterra, comercializada por 25 milhões de libras.

O porta-voz do presidente russo Vladimir Putin disse neste domingo que
Berezovski era um "inimigo impotente" e sua influência era "próxima de zero".
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.