Luxemburgo/Crise política

Premiê de Luxemburgo renuncia após escândalo de espionagem

O primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, pede demissão.
O primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, pede demissão. REUTERS/Laurent Dubrule

Jean-Claude Juncker, primeiro-ministro de Luxemburgo havia 18 anos, pediu demissão do cargo nesta quinta-feira. Juncker não resistiu à pressão dos aliados socialistas, que retiraram o apoio à coalizão de governo depois que uma comissão parlamentar de inquérito revelou irregularidades no funcionamento do serviço secreto, subordinado à autoridade do premiê.

Publicidade

O serviço de inteligência luxemburguês é acusado de ter espionado milhares de moradores do país, de ter tentado desestabilizar um juiz e ter desviado recursos com a revenda de carros de luxo. O escândalo abalou o governo do grão-ducado parlamentarista, mas não afeta a popularidade de Juncker, o líder europeu há mais tempo no poder.

Com a demissão do primeiro-ministro, Luxemburgo deve realizar eleições legislativas antecipadas em três meses, provavelmente em outubro. Como Juncker é um político muito popular no país, ele provavelmente vai se recandidatar. Até recentemente, Juncker presidiu o Eurogrupo, que reúne os países da zona do euro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI