Acesso ao principal conteúdo
Reino Unido/Londres

Scotland Yard confunde príncipe Andrew com ladrão e pede desculpas

O discreto príncipe Andrew, de 53 anos.
O discreto príncipe Andrew, de 53 anos. REUTERS
1 min

O príncipe Andrew, terceiro filho da rainha Elizabeth e irmão mais novo do príncipe Charles, passou por uma situação inusitada esta semana. Ele foi interpelado por dois policiais quando passeava tranquilamente na última quarta-feira nos jardins do Palácio de Buckingham, depois de ser confundido com um intruso. A Scotland Yard apresentou desculpas formais ao príncipe e à família real por seus agentes não terem reconhecido o duque de York.

Publicidade

Os policiais que fazem a segurança da família real britânica estão sob pressão desde o início da semana, quando dois homens foram presos após tentarem entrar no palácio para roubar a rainha Elizabeth. Um deles foi detido pelos policiais às 22h30 de segunda-feira, atrás das grades do palácio, numa área que é aberta ao público durante o dia. Seu suposto cúmplice foi preso na mesma noite, em frente ao palácio. Naquela noite, nenhum membro da família real encontrava-se no local. Os dois homens prestaram depoimento e foram libertados em regime provisório.

O porta-voz da Scotland Yard que confirmou hoje o incidente com o príncipe Andrew desmentiu informações da imprensa de que os policiais teriam gritado, mandando o duque se deitar no chão, e até apontado armas contra ele.

O duque de York confirmou o episódio e sem rancor, aceitou o pedido de desculpas dos policiais. Muito educado, ele disse por meio de um comunicado que os agentes encarregados de fazer a segurança da família real têm um trabalho difícil, sujeito a incidentes. "Fico feliz de saber que poderei continuar passeando nos jardins de Buckingham em segurança", declarou Andrew.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.