Europa/Crise

Austeridade na Europa pode levar 25 milhões de pessoas à pobreza

A aposentada búlgara, Maria Draguta, 59 anos, ex-mineira que vive na cidade de Aninoasa, na Romênia que é o segundo país mais pobre da União Europeia.
A aposentada búlgara, Maria Draguta, 59 anos, ex-mineira que vive na cidade de Aninoasa, na Romênia que é o segundo país mais pobre da União Europeia. REUTERS/Bogdan Cristel

As políticas de austeridade vão provocar o aumento do número de pobres na Europa. O alerta é da ONG inglesa Oxfam que publicou nesta quinta-feira, 12 de setembro de 2013, um relatório intitulado "A armadilha da austeridade". Segundo a ONG, se os cortes continuarem até 25 milhões europeus podem entrar na pobreza até 2025.

Publicidade

A Oxfam acusa as políticas de austeridade de "destruir o modelo europeu do bem estar social". Em 2011, 120 milhões de pessoas viviam abaixo da linha de pobreza na União Europeia. Se os cortes radicais nos orçamentos da saúde, educação e proteção social continuarem, esse número pode aumentar de 15 a 25 milhões de pessoas e atingir, em pouco mais de dez anos, um quarto da população do bloco.

A ONG constata o ineficácia do que chama de medidas "cegas de redução das dívidas públicas" que trouxeram recessão e taxas recordes de desemprego. A austeridade aumenta também a desigualdade ao beneficiar apenas "os 10% mais ricos da Europa". Resultado países como Grécia e Portugal, mas também Espanha e Grã-Bretanha, entrarão em breve para a lista dos mais desiguais do mundo se não modificarem suas políticas econômicas.

O relatório "A armadilha da austeridade" foi publicado na véspera de uma reunião importante dos ministros das Finanças da União Europeia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI