Acesso ao principal conteúdo
Ucrânia/Rússia

Ucrânia pede ajuda internacional para organizar eleições presidenciais

Ativistas pró-Rússia na sede do governo regional de Luhansk, no sudeste da Ucrânia,
Ativistas pró-Rússia na sede do governo regional de Luhansk, no sudeste da Ucrânia, REUTERS/Vasily Fedosenko
Texto por: RFI
3 min

A Ucrânia pediu nesta terça-feira (6) que a comunidade internacional ajude na organização da eleição presidencial prevista para o próximo dia 25 de maio. Com a escalada da violência, as autoridades ucranianas temem não ter condições de organizar um pleito “livre e democrático”. Contrário ao governo interino, que assumiu após a queda do presidente Viktor Yanukovitch, a Rússia afirma que a realização da eleição é “absurda”.

Publicidade

“Pedimos a todos os nossos parceiros que enviem observadores internacionais para a Ucrânia para monitorar as eleições e fazer todo o possível para eliminar as ameaças e as provocações externas apoiadas pela Rússia”, disse nesta terça-feira (6), em Viena, o chanceler ucraniano Andrei Dechtchitsa.

Também preocupado com a organização das eleições, o presidente da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, Didier Burkhalter, pediu, nesta terça-feira, que os os lados envolvidos no conflito façam um “cessar fogo” para que a eleição presidencial seja realizada.

Já a diplomacia alemã insiste para a organização de uma nova conferência internacional sobre a crise ucraniana. Mas, de acordo, Dechtchitsa, esse encontro só será possível mediante algumas condições. “Se a Rússia apoiar a eleição, eliminar a ameaça e parar de apoiar grupos extremistas na Ucrânia, aceitaremos as negociações".

Putin na Crimeia

Segundo a imprensa russa, Vladimir Putin deve participar de uma parada militar na Criméia nesta sexta-feira. O evento marca a vitória do exército russo contra o exército da Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial. Se a presença do presidente russo for confirmada, essa será a primeira vez em que Putin visitará a Crimeia pós a sua anexação à Rússia. A chanceler alemã, Angela Merkel, lamentou. “Seria uma pena que um dia importante seja usado em um contexto de tensão”.

Confrontos no leste do país

Um balanço divulgado nesta terça-feira pelo ministro do Interior ucraniano aponta a morte de 30 separatistas e 4 soldados nos enfrentamentos com o Exército, nesta segunda-feira, na cidade de Slaviansk. A situação também é tensa em Donetsk e Kramatorsk.

Nesta manhã, as autoridades ucranianas fecharam temporariamente o aeroporto internacional de Donetsk, sem dar explicações. O presidente da Duma, a assembleia russa, comparou a ofensiva ucraniana para controlar as cidades rebeladas a um “genocídio”. O Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos pediu diálogo entre nacionalistas e separatistas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.