Rússia/União Europeia

Putin ameaça retaliar às novas sanções da União Europeia

Putin reuniu-se com o ministro da defesa Sergey Shoygu para diminuir as importações de armas depois do anúncio que a União Europeia aplicará novas sanções à Rússia.
Putin reuniu-se com o ministro da defesa Sergey Shoygu para diminuir as importações de armas depois do anúncio que a União Europeia aplicará novas sanções à Rússia. REUTERS/Iraq Ministry of Defence/Handout via Reuters

A União Europeia adota nesta terça-feira (29) novas sanções contra a Rússia pelo envolvimento na crise ucraniana. Os Estados Unidos também endossam essa atitude. A ameaça já provocou reação do presidente russo, Vladimir Putin, que também promete retaliar economicamente.

Publicidade

Com as medidas, os europeus querem atingir os setores mais importantes para economia russa, como o acesso aos mercados financeiros, vendas de armas e tecnologias sensíveis para o setor energético da Rússia.

As novas sanções, mais duras que as precedentes, foram decididas na segunda-feira à noite pelos principais líderes europeus e o presidente dos EUA, Barack Obama. Em um comunicado oficial distribuído pela Presidência francesa, eles “lamentaram que a Rússia não tenha pressionado os separatistas para fazê-los negociar nem tenha tomado medidas concretas para assegurar o controle da fronteira entre a Rússia e a Ucrânia”.

Pessoas próximas de Putin, como Alexandre Bortnikov (chefe do FSB, serviço de inteligência russo), o ex-premiê Mikhaïl Fradkov e o presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, também estão no alvo dos europeus. Eles podem ter ativos bancários congelados e a entrada proibida nos países da UE.

O Japão, que integra o G7, também anunciou sanções suplementares contra a Rússia, provocando uma forte reação de Moscou.

Resposta de Putin

O presidente russo, Vladimir Putin, não esperou a lista de novas sanções que está sendo preparada esta manhã pelos embaixadores da União Europeia, em Bruxelas, para agir. Em resposta às novas sanções, Putin pediu aos responsáveis militares russos para limitar as importações de material bélico. O líder russo quer que o país seja autossuficiente e interrompa sua grande dependência no setor de parceiros estrangeiros que, segundo ele, são pouco confiáveis.

Na lista de retaliações possíveis, a Rússia também ameaçou limitar as importações de frutas da União Europeia e de frangos dos Estados Unidos. Oficialmente, as importações seriam proibidas por problemas fitossanitários.

Observadores

Nesta manhã, observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa visitam a região russa de Rostov, na fronteira com a Ucrânia, suspeita de ser o ponto de passagem das armas fornecidas por Moscou aos separatistas pró-russos.

 

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI