Kerry/crise ucraniana

John Kerry faz giro diplomático em Roma e Paris nesta segunda

Serguei Lavrov, à esquerda, e John Kerry, à direita, se encontram em Roma.
Serguei Lavrov, à esquerda, e John Kerry, à direita, se encontram em Roma. REUTERS/Evan Vucci/Pool
3 min

O secretário de Estado americano, John Kerry, se encontra com os colegas da França, Reino Unido e Alemanha nesta segunda-feira (15), em Paris, para discutir maneiras de relançar o processo de paz entre israelenses e palestinos. Antes, em Roma, ele se reúne com o premiê israelense, Benjamin Netanyahu. Neste domingo, foi a vez de falar sobre a crise ucraniana com o homólogo russo, Serguei Lavrov.  

Publicidade

Kerry e Lavrov se encontraram pela primeira vez desde que o Congresso dos EUA aprovou uma lei autorizando novas sanções contra Moscou e o envio de armas letais ao governo de Kiev.

O chefe da diplomacia americana chegou no começo da tarde à capital italiana, onde tinha encontro marcado com o representante de Moscou a partir de 16h (13h no horário de Brasília). A Rússia ameaçou, no sábado, retaliações contra os Estados Unidos se as sanções contra o governo russo, aprovadas por unanimidade pelos parlamentares americanos, forem aplicadas. “Não podemos deixar isso sem resposta”, advertiu o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Riabkov.

O presidente americano, Barack Obama, tem agora a escolha entre promulgar ou vetar a lei. A Casa Branca não se pronunciou a respeito. Obama recentemente qualificou de “contraprodutiva” a imposição de sanções suplementares sem parceria com a União Europeia.

O envio de armas dos EUA para a Ucrânia também é uma prerrogativa do presidente, que se opõe à medida. O Congresso, no entanto, aumentou a pressão sobre a Casa Branca, ao autorizar uma linha de crédito de US$ 350 milhões em três anos para esse fim.

A ameaça de novas sanções americanas acontece num momento em que a economia russa sofre as consequências de sanções precedentes e a queda do preço do petróleo.

Em oito meses, o conflito ucraniano provocou mais de 4.636 mortes, segundo a ONU.

Paris

Na segunda-feira à noite, John Kerry se reúne, em Paris, com os ministros das Relações Exteriores da França, Reino Unido e Alemanha para discutir maneiras de retomar as negociações de paz entre israelenses e palestinos.

Benjamin Netanyahu, neste domingo, rejeitou categoricamente a ideia de que Israel se retire da Cisjordânia e de Jerusalém Oriental em dois anos. Os palestinos, com apoio da Liga Árabe, querem submeter ao Conselho de Segurança da ONU, um texto exigindo, até novembro de 2016, a retirada israelense “da totalidade dos territórios ocupados a partir de 1967”.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI