Acesso ao principal conteúdo
Grécia/eleições

Grécia organiza último turno de eleição para presidente por voto indireto

Parlamento grego, em Atenas, em foto de 23 de dezembro de 2014.
Parlamento grego, em Atenas, em foto de 23 de dezembro de 2014. REUTERS/Alkis Konstantinidis
Texto por: RFI
2 min

A Grécia organiza nesta segunda-feira (29) o terceiro e último turno da eleição para presidente, por voto indireto, dos 300 deputados que compõem o parlamento grego. Caso o ex-comissário europeu Stavros Dimas não seja eleito, o parlamento poderá ser dissolvido.

Publicidade

O ex-comissário é o único candidato na disputa. Ele não conseguiu, nos dois turnos precedentes, obter os 180 votos necessários para sua eleição. Se houver um novo fracasso hoje, o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, será obrigado a dissolver o parlamento em dez dias e convocar eleições legislativas antecipadas entre 25 de janeiro e 1° de fevereiro, como prevê a Constituição.

Partido de extrema-esquerda pode vencer legislativas

Se esse cenário se confirmar, há grandes chances do partido de extrema-esquerda Syriza, do carismático líder Alexis Tzipras, vencer as legislativas e suspender o pagamento da dívida grega. Os gregos não aguentam mais as política de austeridade e querem mudanças.

A Comissão Europeia e os credores internacionais estão preocupados com essa nova crise política na Grécia. O país recebeu 240 bilhões de euros de ajuda internacional para evitar a falência e continua dependente de ajuda externa até fevereiro do ano que vem. Repercutindo a tensão, a bolsa de Atenas abriu hoje com queda de 5%.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.