Acesso ao principal conteúdo
Grécia/Política

Novo governo grego é submetido a voto de confiança

Parlamento grego deve aprovar voto  de confiança  ao novo governo de extrema-esquerda nesta terça-feira (10/02)..
Parlamento grego deve aprovar voto de confiança ao novo governo de extrema-esquerda nesta terça-feira (10/02).. REUTERS/ Alkis Konstantinidis
4 min

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, irá submeter seu governo de extrema-esquerda a um voto de confiança do parlamento na noite desta terça-feira (10), em Atenas. A maioria confortável do partido Syriza deve garantir a aprovação do programa de governo de Tsipras. O premiê deverá prometer o fim da austeridade imposto ao país pelo trio de credores formado pelo Banco Central Europeu, a União Europeia e o FMI.

Publicidade

O premiê Tsipras continua sua batalha para renegociar a dívida da Grécia. Ele não quer uma extensão do atual plano do trio de credores, em vigor desde 2010, que fixa vários objetivos econômicos em troca de empréstimos de mais de €240 bilhões.

Sem apoio internacional, a Grécia está à beira da falência. A ajuda financeira internacional em vigor vai vencer no final de fevereiro e o país não tem mais condições de se financiar sozinho.

Na segunda-feira (9), Alexis Tsipras disse em Viena, onde se encontrou com o chefe de governo austríaco, Werner Faymann, estar "otimista" com a possibilidade de concluir um acordo com a União Europeia.

O otimismo de Tsipras contrasta com a prudência do governo alemão que não vê com bons olhos as manobras de Atenas. O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, admite não "entender como o governo grego pretende levar as negociações". "Se eles (os gregos) querem nossa ajuda, é preciso apresentar um programa" comprometido com o trio de credores do país, afirmou.

De Washington, a chanceler Angela Merkel disse que o governo Tsipras deve fazer "propostas viáveis" aos europeus sobre sua dívida pública e os programas internacionais de ajuda ao país.

Programa completo de reformas prevê combate à corrupção

Uma fonte do ministério grego das Finanças, citada pela agência AFP, informou que o governo irá apresentar na quarta-feira (11), em Bruxelas, um programa em diversas etapas, baseado em um alívio na austeridade em troca de dez reformas cruciais estabelecidas conjuntamente com a Organização para Cooperação de Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O governo grego deverá pedir um outro auxílio financeiro de emergência, sem imposição de medidas de austeridade, até finalizar um amplo programa de reformas que deverá ser adotado a partir de setembro. O plano prevê, entre outras medidas, uma reforma fiscal e combate à corrupção.

O ministério grego das Finanças estabeleceu como meta um programa para tirar o país de uma "crise humanitária" e obter uma forte redução dos objetivos de excedente orçamentário primário imposto ao país (1,5% do PIB ao invés de 3% previsto para 2015).

Grécia preocupa ministros do G20

A situação da economia grega é um dos principais assuntos da reunião do G20 que acontece em Istambul, na Turquia. Na segunda-feira, o ministro-britânico das Finanças, George Osborne, voltou a mostrar preocupação com uma "saída ruim" para a crise. "Os riscos de um confronto entre a Grécia e a zona do euro crescem a cada dia e ameaçam a economia mundial", disse Osborne, em entrevista a um canal de televisão. 

Além da crise grega, discutida de maneira informal, os ministros do G20 têm na agenda oficial de discussões temas mais consensuais como o crescimento econômico e a luta contra a fraude fiscal.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.