Europa/Migração

Patrulha francesa resgata 217 náufragos no Mediterrâneo

Migrante depois de ser resgatado no mar e transportado para porto no sul da Itália, em 22 de abril de 2015
Migrante depois de ser resgatado no mar e transportado para porto no sul da Itália, em 22 de abril de 2015 REUTERS/Ciro De Luca

Um barco-patrulha francês resgatou 217 náufragos perto da costa da Líbia neste sábado (2). O patrulheiro Commandant Birot integrou na semana passada a missão de vigilância Tritão, reforçada pela União Europeia depois que mais de 800 pessoas morreram no Mediterrâneo no dia 19 de abril. De acordo com as autoridades francesas, os migrantes estariam a bordo de três embarcações. Dois supostos "atravessadores" foram presos e encaminhados às autoridades italianas.

Publicidade

Também hoje, a guarda costeira italiana anunciou que resgatou ao menos seis embarcações de migrantes, mas o número de pessoas não foi divulgado. Todos os dias, centenas de migrantes, principalmente da África e da Síria, chegam à costa italiana, depois de serem socorridos no mar.

Apesar do drama humanitário, a resposta da Comissão Europeia tem sido o aumento da fiscalização e não a busca de soluções duradouras. Exemplo disso é o fato de que a operação Tritão, que é coordenada pela agência europeia de vigilância de fronteiras, recebou um aporte orçamentário de 18 milhões de euros.

Barco voluntário

Organizações de direitos humanos pedem melhor acolhimento dos refugiados e alertam para o fato de que fechar a rota líbia só abrirá novas rotas, talvez até mais perigosas. Os Médicos sem Fronteiras (MSF) e a Migrant Offshore Aid Station (Moas) anunciaram hoje o envio de um barco para uma missão de salvamento de seis meses no Mediterrâneo. O MV Phaenix fez uma missão de dois meses no ano passado e participou do salvamento de 3 mil pessoas.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI