Acesso ao principal conteúdo
Revista de Imprensa

"Refugiados: vítimas de cinismo de Erdogan, xenofobia grega e cegueira da UE"

Áudio 06:01
Primeiras páginas dos jornais franceses desta quarta-feira, 4 de Março.
Primeiras páginas dos jornais franceses desta quarta-feira, 4 de Março. © RFI
Por: Lígia ANJOS
8 min

“Para quando o estado número 3 da epidemia?”, questiona o comunista l'Humanité. O executivo francês aplica medidas para travar a propagação inevitável da epidemia. Emmanuel Macron quer evitar saturações nos hospitais e o pânico da população. 

Publicidade

"Será o fim da epidemia ébola na república democrática do Congo?", questiona o esquerdista Libération. "Ainda é cedo para gritar vitória, mas o certo é que a última paciente hospitalizada teve alta ontem, terça-feira, no centro de tratamento no Beni, o epicentro da epidemia".

"O pesadelo dos refugiados" na fronteira entre a Grécia e Turquia, titula o comunista l'Humanité. "Centenas de milhares de pessoas fugiram da guerra síria, são hoje vítimas do cinismo de Erdogan, da xenofobia do poder grego e da cegueira da União Europeia".

"Antigo vice-presidente surpreendeu", escreve o vespertino Le Monde, o candidato à nomeação democrata para as eleições presidenciais norte-americanas Joe Biden venceu as primárias no estado do Texas, na chamada "super terça-feira".

"A aprovação forçada da reforma das pensões alimenta discórdias no partido macronista, que vive divergências estratégicas com vista às eleições autárquicas". Ontem, no parlamento, os partidos da oposição tanto à direita como à esquerda apresentaram moções de censura contra o governo em resposta ao uso do artigo 49-3. "A indignação também se fez sentir, ainda que de forma mais discreta e perigosa para o governo, na ala da maioria parlamentar, A República Em Marcha".

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.