Acesso ao principal conteúdo
Convidado

França: "O salto de fé do desconfinamento"

Áudio 09:19
Primeiro-ministro Édouard Philippe, 7 de Maio 2020.
Primeiro-ministro Édouard Philippe, 7 de Maio 2020. Christophe Archambault / Pool via REUTERS
Por: Lígia ANJOS

A França entra na próxima terça-feira na segunda fase de desconfinamento. O governo francês anunciou ontem linhas gerais desta nova fase: a reabertura de escolas, cafés, bares, parques e jardins.

Publicidade

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, considerou que "o balanço é positivo" apesar de "não podermos correr o risco da imprudência".

O surto de covid-19 está controlado na maior parte do país, à excepção da região de Paris e Mayotte, território ultramarino , que vão desconfinar a outro ritmo. Nos departamentos verdes, restaurantes, cafés e bares podem reabrir desde que cumpram as medidas sanitárias de prevenção a partir de terça-feira, 2 de Junho.

Salas de espectáculos, museus e ginásios também podem abrir portas, mas o uso de máscara obrigatório. Já os residentes nos departamentos cor de laranja vão esperar até 22 de Junho.

Os franceses recuperam a liberdade de se poderem deslocar por enquanto em todo o país, embora se mantenha a proibição de ajuntamentos com mais de dez pessoas em espaços públicos. Como sublinhou Édouard Philippe "a liberdade volta a ser a regra e as proibições, a excepção". 

"O desconfinamento é um salto de fé" aponta Tiago Ramalho, docente universitário da Science Po de Paris.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.