Acesso ao principal conteúdo
Convidado

Reabertura de teatros e cinemas em Paris suscita “esperança”

Áudio 07:43
Théâtre de la Ville, em Paris, faz uma programação cultural de 48 horas seguidas para incitar o público a regressar aos espectáculos.
Théâtre de la Ville, em Paris, faz uma programação cultural de 48 horas seguidas para incitar o público a regressar aos espectáculos. © Théâtre de la Ville
Por: Carina Branco
19 min

Esta segunda-feira, em Paris, o Théâtre de la Ville reabre as suas portas no Espace Cardin depois de também ter estado confinado devido à pandemia de Covid-19. Durante 48 horas seguidas, o teatro dirigido pelo franco-português Emmanuel Demarcy-Mota vai apresentar nove propostas poéticas, teatrais, coreográficas e musicais que são o resultado do projecto “consultas poéticas e científicas” realizado durante o confinamento. O actor Lionel Cecílio é um dos que vai subir ao palco e está “cheio de esperança” no regresso do público às salas de espectáculo. 

Publicidade

Convidado: Lionel Cecílio

Esta segunda-feira, em Paris, o Théâtre de la Ville reabre as suas portas. Durante 48 horas seguidas, a sala dirigida pelo franco-português Emmanuel Demarcy-Mota vai apresentar nove propostas poéticas, teatrais, coreográficas e musicais que resultam das “consultas poéticas e científicas” realizadas durante o confinamento.

O actor Lionel Cecílio é um dos que vai subir ao palco e está “cheio de esperança” no regresso do público às salas de espectáculo. 

"Estou cheio de uma esperança grande, boa e forte. Eu acho que vai tudo recomeçar", contou o actor à RFI depois de três meses de salas de espectáculo fechadas em Paris.

Esta noite, Lionel Cecílio vai ler poemas num projecto em várias línguas e com direcção artística de Emmanuel Demarcy-Mota.

"O Théâtre de La Ville de Paris vai dar actuações de teatro e de poesia que são a continuidade das consultas poéticas que eles fizeram antes do confinamento e durante o confinamento por telefone. O símbolo destas actuações é tornar visível o que foi invisível durante três meses", contou.

Para o actor francês de origem portuguesa a iniciativa do Théâtre de la Ville é fundamental para "passar a mensagem às pessoas que podem tornar a ir ao teatro".

"O que vai ser mais complicado não é iniciar projectos nem montar peças. O que vai ser mais complicado é dizer às pessoas que elas podem ir ao teatro e tirar esse medo que está na cabeça de toda a gente e na nossa também", considerou.

Esta segunda-feira marca também a reabertura das salas de cinema em França. Lionel Cecílio também viu adiado, em Março, o lançamento de um dos filmes em que participa devido à pandemia. O filme "Miss" de Ruben Alves, vai estrear-se em Setembro e quer fazer passar uma mensagem forte, ao mesmo título que uma curta-metragem em que Lionel participou recentemente, "Ma Famille à Moi", de Romain Poli.

"Com o movimento Black Lives Matter e tudo o que estamos a viver neste momento político internacional, eu acho que é o momento de compreender que todas as vidas contam e que somos todos humanos, seja qual for a nossa cor de pele, a nossa sexualidade. É muito importante a arte, o cinema, o teatro, a poesia irem nesse sentido de fazer avançar as mentalidades", afirmou.

Uma entrevista para ouvir no programa CONVIDADO desta segunda-feira.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.