Acesso ao principal conteúdo
França

Hospitalizado francês a quem tinha sido recusado o pedido para morrer

Alain Cocq em sua casa em Dijon a 19 de Agosto.
Alain Cocq em sua casa em Dijon a 19 de Agosto. REUTERS - GONZALO FUENTES
Texto por: Miguel Martins com AFP
2 min

Acabou por ser hospitalizado em Dijon, centro-leste da França, Alain Cocq, um francês de 57 anos que pretendia deixar-se morrer. A rede Facebook tinha bloqueado no sábado a difusão do vídeo da sua agonia. 

Publicidade

Alain Cocq foi hospitalizado em Dijon na noite passada nos cuidados paliativos por estar a sofrer demasiado, afirmou Sophie Medjeberg, a advogada que o acompanha.

Este francês de 57 anos padece de uma doença incurável pelo que tinha interrompido na noite de sexta-feira qualquer tratamento e alimentação.

Tinha recorrido a Emmanuel Macron para que lhe administrassem sedativos até à morte, mas o presidente francês descartou aceder aquele pedido dizendo "não estar acima da lei" por a legislação nacional não prever tal caso.

Cocq tinha decidido, então, difundir o vídeo em directo da sua agonia no Facebook para reivindicar o direito a um fim de vida digno.

A rede social tinha-o, porém, bloqueado.

Cocq sofre de uma doença genética rara e muito dolorosa que bloqueia as artérias e afirma estar em fase terminal há 34 anos.

A suspensão do tratamento e da alimentação tinha-lhe provocado uma forte desidratação e vómitos, perdas momentâneas de consciência e a presença de sangue nas fezes.

De acordo com a sua conselheira ele continua a querer morrer, mas num processo sem sofrimento, já que ele teria ficado mergulhado numa situação insustentavelmente dolorosa.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.