Acesso ao principal conteúdo
Vida em França

França: Greve nos transportes públicos

Áudio 05:22
Manifestante com cartaz:"em guerra contra o vírus e despedimentos" durante uma manifestação em 17 de setembro de 2020 em Paris.
Manifestante com cartaz:"em guerra contra o vírus e despedimentos" durante uma manifestação em 17 de setembro de 2020 em Paris. AFP - CHRISTOPHE ARCHAMBAULT
Por: Lígia ANJOS
7 min

As cidades de Paris, Marselha, Nantes, Rennes ou ainda Bordéus sentiram a greve do sector dos transportes públicos. Nas ruas milhares de trabalhadores desfilaram para contestar os planos sociais do executivo francês.

Publicidade

A greve desta quinta-feira, 17 de Setembro, foi convocada pela CGT e outras seis centrais sindicais.

No caderno de reivindicações, os sindicatos exigem acabar com a redução de postos de trabalho, protestam contra a precariedade, o aumento salarial e pedem maior desenvolvimento dos serviços públicos e o fim do projecto de reformas, conduzido pelo Presidente francês.

"A crise sanitária veio agravar as desigualdades sociais", lembra Carmen Campos, delegada sindical CFDT, sindicato que optou por não se juntar à greve.

"É necessário sair às ruas, mas nesta altura calha um pouco mal porque os trabalhadores não estão organizados, está praticamente toda a França em teletrabalho e os sindicatos não têm tido muito contacto com os trabalhadores. Assim é difícil organizar uma mobilização", descreve Carmen Campos.

Com o plano "histórico" de recuperação económica, o executivo francês prevê recuperar até 2022 os níveis de actividade anteriores à crise e evitar o aumento de desemprego. "O plano dos 100 mil milhões de euros é destinado às empresas, não sabemos para onde vai ser canalizado esse dinheiro e qual é o objectivo do governo", afirmou.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.