Acesso ao principal conteúdo
#Covid-19/França

França : Primeiro-ministro não exclui novo confinamento

Primeiro-ministro francês, Jean Castex, em primeiro plano, antes do programa televisivo "Vous avez la parole". 24 de Setembro, Paris.
Primeiro-ministro francês, Jean Castex, em primeiro plano, antes do programa televisivo "Vous avez la parole". 24 de Setembro, Paris. AFP - THOMAS COEX
Texto por: RFI
2 min

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, não exclui a possibilidade de um novo confinamento se a situação sanitária continuar a piorar. As declarações foram feitas esta quinta-feira à noite, no dia em que a França registou um novo recorde: 16.096 novas contaminações por Covid-19.

Publicidade

O chefe de Governo francês, Jean Castex, defendeu, esta quinta-feira à noite no programa “Vous avez la parole” do canal France 2, as medidas “mais fortes, mais difíceis” anunciadas na véspera pelo ministro da Saúde, Olivier Véran, e ameaçou que pode haver novo confinamento se não se agir agora.

“O que eu não quero é que voltemos ao mês de Março (…) Se não agirmos, podemos ficar numa situação próxima da Primavera. Isso poderia significar novo confinamento, é preciso evitá-lo”, afirmou.

A ameaça surge depois das críticas dos autarcas e gerentes de cafés e restaurantes face às novas medidas que implicam o fecho de bares e restaurantes a partir deste sábado nas zonas de Aix-Marselha e da Guadalupe, consideradas como “zonas de alerta máximo”.

Há, ainda, 11 “zonas de alerta reforçado”, como Paris, em que os bares vão ter de fechar às 22h, além de muitas outras medidas para controlar a pandemia.

Esta quinta-feira, a França registou 16.096 novos casos de Covid-19, ou seja, um recorde desde o início dos testes em grande escala.

“Não se brinca com uma epidemia”, acrescentou Jean Castex para responder às críticas tanto do setor da restauração - já severamente abalado pela crise sanitária - como dos próprios autarcas que acusam o executivo de ter avançado com novas medidas sem diálogo e em detrimento da economia local.

O primeiro-ministro apelou à “responsabilidade necessariamente colectiva” dos autarcas e justificou que teria sido muito difícil para os autarcas, nomeadamente em Marselha, “assumirem sozinhos estas medidas necessárias”.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.