Acesso ao principal conteúdo
França/Terrorismo

França: homem decapitado perto de Paris em suposto caso de caricaturas de Maomé

Polícia procura isolar a área em Conflans St Honorine, um subúrbio de Paris, a 16 de Outubro de 2020.
Polícia procura isolar a área em Conflans St Honorine, um subúrbio de Paris, a 16 de Outubro de 2020. REUTERS - CHARLES PLATIAU
Texto por: Miguel Martins com AFP
4 min

O presidente francês é aguardado a qualquer momento ao noroeste da capital onde um professor foi decapitado ao final da tarde por um agressor entretanto abatido pelas autoridades. Em causa poderia estar o caso das caricaturas de Maomé. 

Publicidade

Um professor de história de Conflans Saint Honorine, na região de Paris, foi decapitado na rua ao final do dia por um agressor entretanto neutralizado pela polícia.

A vítima teria mostrado recentemente aos alunos as caricaturas de Maomé.

Estas tinham sido publicadas de novo a 1 de Setembro pelo jornal satírico Charlie Hebdo, para coincidir com o início do julgamento dos cúmplices dos atentados de Janeiro de 2015 onde 12 pessoas incluindo jornalistas e caricaturistas desse semanário tinham sido assassinadas.

A justiça francesa abriu uma investigação do departamento anti-terrorista.

Foi a apenas 50 kms da capital que um homem foi apunhalado por várias vezes e decapitado.

A polícia tinha sido alertada de que um homem estaria a rondar perto de uma escola com uma arma branca gritando em árabe "Deus é grande".

Este encontrava-se a 200 metros da vítima e ao ameaçar com o punhal as autoridades acabaria por ser abatido a tiro, vindo a falecer.

Este ataque ocorreu três semanas após um outro em Paris fazendo dois feridos graves por um paquistanês de 25 anos junto às antigas instalações do Charlie Hebdo.

Homem decapitado perto de Paris

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.