Acesso ao principal conteúdo
Homenagem Samuel Paty

França presta homenagem nacional a Samuel Paty

As homenagens multiplicam-se em França desde o atentado de sexta-feira que tirou a vida a Samuel Paty.
As homenagens multiplicam-se em França desde o atentado de sexta-feira que tirou a vida a Samuel Paty. REUTERS/Pascal Rossignol
Texto por: Lígia ANJOS
4 min

A França organiza esta quarta-feira, 21 de Outubro, na Universidade Sorbonne uma homenagem nacional a Samuel Paty, professor decapitado na sexta-feira passada num atentado "bárbaro" que chocou o país e levou o governo a adoptar medidas contra o islamismo radical.

Publicidade

A cerimónia começa por volta das 19h30 no pátio da Sorbonne, em Paris. O chefe Estado, Emmanuel Macron, fará um discurso sobre a vida do professor assassinado e entregará a Legião de Honra, a título póstumo, a Samuel Paty. 

O filho de 5 anos do professor de História e Geografia vai ser declarado "pupilo da nação", uma distinção atribuída aos filhos cujos pais morreram em conflitos de guerra ou atentados.

Emmanuel Macron escolheu a Universidade da Sorbonne, símbolo do espírito do Iluminismo e do ensino. Uma escolha tomada “de acordo com a família do falecido” e que honra a profissão da vítima, indicou o Eliseu.

A Universidade Paris-Sorbonne já tinha sido local de homenagem às vítimas de terrorismo. Em 2015, François Hollande escolheu este espaço para fazer um minuto de silêncio em memória das vítimas dos atentados de 13 de Novembro, entre as quais estavam muitos jovens, alunos e professores.

Emmanuel Macron vai presidir a homenagem na presença do “primeiro-ministro e de membros do governo”, indica um comunicado do Eliseu. Também estarão presentes presidentes de Câmaras, deputados e os antecessores de Emmanuel Macron. François Hollande confirmou presença, assim como representantes do Conselho Francês do Culto Muçulmano.

Devido a restrições sanitárias, são esperados apenas 400 convidados, incluindo cerca de 100 estudantes de estabelecimentos escolares da região parisiense.

Segundo uma nota de imprensa enviada pelo Palácio do Eliseu, o Presidente Emmanuel Macron chegará um pouco antes da cerimónia para entregar a Legião de Honra postumamente ao professor, na presença da família. 

O texto “Aos professores” de Jean Jaurès será lido por um amigo de Samuel Paty. O público ouvirá a leitura do poema A Samuel de Gauvain Sers, lido por um professor. Por fim, um aluno lerá a carta de Albert Camus ao seu professor Louis Germain, no dia em que o escritor recebeu o Prémio Nobel de Literatura.

O Chefe de Estado fará ainda um breve discurso sobre a vida de Samuel Paty, a orquestra de cordas da Guarda Republicana tocará o hino francês a Marselhesa. 

16 pessoas em detenção provisória

Sete pessoas, incluindo dois estudantes, comparecem esta quarta-feira perante uma audiência com um juiz anti-terrorista para o início do processo pelo assassínio do professor de História e Geografia.

Entre as sete pessoas está o pai de uma aluna que deu início a uma mobilização contra o professor, em seguimento à aula sobre liberdade de expressão, dada a 5 de Outubro.

Esta terça-feira, 16 pessoas estavam em detenção provisória, incluindo cinco alunos, para tentar compreender de que forma o terrorista conseguiu identificar o professor antes de o decapitar, à saída da escola em Conflans-Saint-Honorine, na região de Paris.

No centro da investigação estão mensagens trocadas por Whatsapp entre o autor do crime e o pai da aluna, que divulgou vídeos com pedidos de vingança popular contra o professor. Este encarregado de educação criticava o professor por ter exibido caricaturas de Maomé durante uma aula.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.