França/Mali

Repórteres da RFI mortos no Mali: Familiares denunciam mentiras do exército francês

Claude Verlon (à esquerda, de óculos) e Ghislaine Dupont em Kidal, Mali, Julho de 2013.
Claude Verlon (à esquerda, de óculos) e Ghislaine Dupont em Kidal, Mali, Julho de 2013. RFI

Há 7 anos eram assassinados em Kidal, no norte do Mali dois repórteres da rfi Ghislaine Dupont e Claude Verlon. Desde então a investigação pouco avançou como denunciam os familiares dos nossos dois colegas que denunciam, mesmo, contradições do exército francês no caso.

Publicidade

Pela primeira vez um oficial francês confirmou em Junho deste ano que as forças especias gaulesas tinham tentado perseguir os raptores aquando do sequestro dos dois repórteres da rfi.

As tropas hexagonais, de cerca de uma dezena de pessoas, estariam presentes no terreno, sobretudo na área dos serviços de informação, embora mal equipadas.

Este é o oficial que dirigia o destacamento que tinha oficialmente descoberto os corpos de Ghislaine Dupont e de Claude Verlon.

O certo é que até ao ano passado o exército francês desmentia qualquer papel activo no caso.

Na altura o acto tinha sido reivindicado pela Al Qaeda no Magrebe islâmico.

Facto que leva Marie-Solange Ponsoit, a mãe da jornalista morta, Ghislaine Dupont, a acusar os militares franceses de estarem a mentir.

Enquanto isso o operador telefónico Malitel até agora não facultou à justiça as facturas dos telemóveis encontrados no carro dos raptores com dados úteis para a investigação.

Apoline Verlon, filha do técnico Claude Verlon, lamenta o silêncio do presidente e agora promete escrever à esposa do chefe de Estado, Brigitte Macron.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI