Acesso ao principal conteúdo
França/Covid

França: recolher obrigatório nacional a partir das 18 horas

Primeiro-ministro francês, Jean Castex, pormenoriza novas medidas para lutar contra a Covid-19 em Paris a 14 de Janeiro de 2021.
Primeiro-ministro francês, Jean Castex, pormenoriza novas medidas para lutar contra a Covid-19 em Paris a 14 de Janeiro de 2021. AFP - THOMAS COEX
Texto por: Miguel Martins
4 min

A França passa a cumprir um recolher obrigatório a partir das 18 horas deste sábado, 16 de Janeiro, por pelo menos 15 dias. A medida visa combater a Covid-19 e as respectivas variantes acaba de ser anunciada pelo primeiro-ministro, Jean Castex em Paris. Quem pretenda viajar para França terá a partir de segunda-feira, 18 de Janeiro, que apresentar um teste negativo PCR.

Publicidade

Eis um extracto das declarações do primeiro-ministro francês:

"Vamos endurecer bastante as condições de entrada no território nacional e reforçar os controlos nas fronteiras.

A partir de segunda-feira todos os viajantes que desejam deslocar-se a França provenientes de um país de fora da União Europeia deverão efectuar um teste antes da partida.

E será necessário apresentar um teste negativo.

Como para a Guiana doravante serão exigidos testes negativos para passageiros provenientes de Mayotte e da ilha da Reunião rumo à França metropolitana.

No conjunto do território metropolitano o recolher obrigatório aplicar-se-á a partir das 18 horas a partir deste sábado e pelo menos por 15 dias."

Jean Castex, primeiro-ministro francês, 14/1/2021

Até ao momento apenas 25 dos 101 distritos franceses cumpriam um recolher obrigatório a partir das 18 horas, uma medida que passa a vigorar em todo o país (excepto territórios ultramarinos).

Segundo o executivo essa medida estaria a ser satisfatória para se obter a redução do número de novos casos da doença, duas a três vezes inferior ao sistema sem recolher obrigatório.

De acordo com Castex por em França a situação estar controlada em relação aos países vizinhos não se avança para um terceiro confinamento, mas esse cenário poderá vir a ser adoptado rapidamente em caso de uma degradação epidémica forte.

As escolas manter-se-ão abertas neste novo figurino, a partir de 25 de Janeiro também as universidades poderão acolher os seus estudantes de primeiro ano em grupos restritos.

Estas medidas visam evitar, também, a propagação das variantes britânica e sul-africana para evitar que, nomeadamente, a britânica não venha a alastrar.

Devido ao aumento de casos na Irlanda e Dinamarca será implementada uma concertação visando a cimeira europeia de 21 de Janeiro, acrescentou Jean Castex.

De referir que o ministro da saúde, Olivier Véran, afirmou que as autoridades identificaram um foco da variante sul-africana da Covid-19 na região de Nantes, oeste de França. 

Tratar-se-ia de uma pessoa que efectuou uma viagem a Moçambique em Dezembro.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.