França/Covid

França: processo de vacinação acelera com abertura de novos recintos

Interior do estádio "Stade de France" que acolhe a partir de hoje o maior recinto francês de vacinação.
Interior do estádio "Stade de France" que acolhe a partir de hoje o maior recinto francês de vacinação. © Gonzalo Fuentes/Reuters

A França iniciou hoje uma nova fase do processo de vacinação. Os hospitais militares começaram a vacinar sete dias por semana tal como grandes recintos que agora foram abertos para o efeito, caso do estádio "Stade de France", em Saint Denis, arredores de Paris. 

Publicidade

Numa altura em que a França atingiu novo recorde de doentes nos cuidados intensivos,  5 626, uma cifra que não era atingida desde 20 de Abril de 2020, são mais 163 do que na véspera.

Nas últimas 24 horas morreram mais 409 pessoas de Covid-19 nos hospitais, atingindo-se um total de 71 180 óbitos.

Cerca de 30 000 pessoas estão internadas da doença, contra um pouco mais de 25 000 há um mês.

Nesta terça-feira o emblemático estádio dos arredores de Paris, o "Stade de France" abriu ao público para acolher o maior centro de vacinas do país, como o "Vélodrome" de Marselha, onde se vacina desde meados de Março, ou o Groupama Stadium de Lyon.

As autoridades pretendem atingir 10 000 injecções por semana no estádio "Stade de France" de Saint Denis, o recinto está situado no distrito mais duramente atingido pela pandemia, Seine Saint Denis.

A taxa de incidência é de quase 800 novos casos por 100 000 habitantes.

No entanto na região de Paris, em geral, e na nortenha província de Hauts de France, com restrições há mais tempo, a progressão de casos parece ter abrandado.

Não é, porém, esse o caso à escala nacional, onde essas restrições só agora começaram também a ser implementadas.

Paulo da Silva Moureira é médico e autarca em França, ele admite que há que acelerar a vacinação.

Paulo da Silva Moureira, médico e autarca em França, 6/4/2021

 

"Necessitamos acelerar [o processo de vacinação] porque estamos com entre 50 a 60 000 casos de Covid por dia em França. A vacina, é verdade, foi muito, muito, muito lenta... por causa de falta de doses de vacinas AstraZeneca, também houve certas dúvidas quanto aos perigos potenciais... esse pormenor dos casos que foram notados. Consoante os milhões de vacinas feitas todos os dias não tem sentido. A vacina tem mesmo que acelerar.  A vacina tem mesmo que acelerar.

Com esta vacina AstraZeneca a imunidade é completa quatorze dias após a primeira injecção, o que não é o caso com a Pfizer...

A população necessita mesmo de uma protecção vacinal rapidamente.

Os "vaccinodromes" têm de ser espalhados pelo território todo."

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI