França/Sociedade

Sindicalistas são agredidos durante desfile de 1 de Maio em Paris

 Militantes do sindicato CGT,no dia 1 de Maio  de 2021, durante o tradicional desfile do Dia do Trabalhador.  A sua manifestação foi em seguida atacada por um grupo de indivíduos. Vinte e uma pessoas ficaram feridas.
Militantes do sindicato CGT,no dia 1 de Maio de 2021, durante o tradicional desfile do Dia do Trabalhador. A sua manifestação foi em seguida atacada por um grupo de indivíduos. Vinte e uma pessoas ficaram feridas. REUTERS - GONZALO FUENTES

Dirigentes políticos e sindicais condenaram as violências ocorridas durante o desfile, de 1 de Maio em Paris, contra membros do sindicato CGT. Um inquérito judicial foi aberto para apurar, as circunstâncias dos actos ocorridos, durante os quais vinte uma pessoas ficaram feridas.  

Publicidade

A confederação CGT (Confederação Geral dos Trabalhadores) deplorou os 21 feridos,dos quais quatro graves, resultantes da agressão, de que foram vítimas militantes do sindicato durante o tradicional desfile do dia 1 de Maio, "Dia do Trabalhador" .

 

Segundo o sindicato, membros  da CGT, foram alvos de uma violência extrema, cometida por um importante grupo de indivíduos, que reivindicam pertencer aos coletes amarelos, movimento de  protesto contra a política social e fiscal do governo francês.

Em declarações ao canal de televisão privado  BFMTV, Benjamin Amar  da CGT, afirmou que  em 20 anos  de sindicalismo, nunca tinha enfrentado semelhante situação.

Amar considerou difícil identificar quem está na origem de tais actos de violência, mas evocou que os insultos proferidos eram típicos da extrema-direita.

De acordo com a CGT, cujas viaturas foram vandalizadas pelos agressores, os insultos tinham um teor homófobo, sexista e racista.

Segundo o Comando da Polícia, os  agressores atacaram também as forças policiais, ferindo um dos seus agentes. Os agressores foram repelidos com gás lacrimogénio.

O Ministério Público de Paris informou  que, uma investigação foi aberta, para identificar os responsáveis pela violência.

Outras organizações sindicais, como a CFDT  (Confederação Francesa Democrática do Trabalho) e FO (Força Operária),condenaram vigorosamente a violência, qualificando os actos cometidos  de "intoleráveis".

Numa nota divulgada domingo,a ministra delegada para a Cidadnia, Marlène Schiappa expressou  , "o seu apoio"  aos militantes agredidos, e considerou "absolutamente inaceitável e intolerável"  atacar pessoas que "desfilam".

Sindicalistas são alvo de violência durante desfile de 1 de Maio em Paris 02 05 2021

 

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI