#França/Reino Unido

Quotas pesqueiras agravam tensão entre França e Reino Unido

Barcos de pesca ao largo de Jersey. 6 de Maio de 2021.
Barcos de pesca ao largo de Jersey. 6 de Maio de 2021. AFP - SAMEER AL-DOUMY

Cerca de meia centena de barcos de pesca franceses concentraram-se no porto de Saint-Hélier, na ilha de Jersey, para protestar contra as limitações na atribuição de licenças. A França alega que o Reino Unido está a apertar as condições de acesso dos pescadores às águas britânicas. O primeiro-ministro britânico considera que um eventual bloqueio em Jersey é “totalmente injustificado”.

Publicidade

Cerca de meia centena de barcos de pesca franceses manifestam-se, esta quinta-feira, junto à ilha britânica de Jersey - a 23 quilómetros ao largo da costa francesa e a 140 das costas britânicas - para denunciar as restrições no acesso às águas britânicas. O comité de pesca da Normandia declarou que as embarcações não pretendem bloquear o acesso aos portos de Jersey nem impedir os navios de pesca locais de trabalhar. Pelo contrário, “o objectivo é manifestar o descontentamento perante medidas restritivas”, indicou Hugo Lehuby, do comité de pesca.

O protesto acontece um dia depois do anúncio, pelo Reino Unido, do envio de dois navios de patrulha para junto da ilha, depois de a França ter dado a entender que poderia cortar a electricidade que fornece a Jersey.

Em resposta, Paris enviou, esta quinta-feira, dois navios patrulha para o largo de Jersey para “garantir que tudo acontece em segurança” durante a manifestação, e “não numa lógica de escalada”, explicou o porta-voz das autoridades marítimas da Mancha.

A presidência francesa pede o “respeito dos compromissos assumidos pelos britânicos” e alega que foram aplicadas “novas condições que não estavam previstas no acordo pós-brexit”.

O acordo pós-brexit, concluído há quatro meses, prevê um período de transição até ao Verão de 2026. Nesse ano, os pescadores europeus vão ter de renunciar a 25% das capturas nas águas britânicas equivalentes a 650 milhões de euros por ano. Depois, o acordo implica uma renegociação anual. Até lá, os pescadores da União Europeia deveriam ter um acesso garantido às zonas situadas entre 6 a 12 milhas náuticas ao largo das costas britânicas e onde habitualmente pescavam.

O problema é que o governo local de Jersey apenas deu 41 licenças de pesca entre 344 pedidos franceses e, de acordo com Paris, estas 41 licenças são acompanhadas de "exigências inadmissíveis”.

Jersey assegura que "distribuiu licenças de pesca conformes ao acordo comercial" concluído entre Bruxelas e Londres no final de Dezembro.  Na quarta-feira, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, indicou que qualquer bloqueio aos portos de Jersey seria “totalmente injustificado”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI