França

Air France et Airbus julgadas por homicídio involuntário no caso do voo do Rio de Janeiro

Air France e Airbus vão ser julgadas no caso do voo AF447 que se despenhou em junho de 2009.
Air France e Airbus vão ser julgadas no caso do voo AF447 que se despenhou em junho de 2009. Thomas Samson AFP/Archivos

A companhia aérea e o fabricante de aviões vão ser julgados 11 anos depois pela queda do voo AF444, que fez 228 vítimas mortais.

Publicidade

As duas entidades vão comparecer perante os tribunais franceses pelo crime de homicídio involuntário na queda do avião em 2009 que transportava 228 passageiros entre o Rio de Janeiro e Paris.

Em 2019, os tribunais tinham considerado que nem a Airbus nem a Air France tinham qualquer responsabilidade na queda do avião, considerando que faltavam provas para estabelecer a culpa das empresas ligadas "aos erros dos pilotos que estiveram na origem do acidente".

Em recurso, o Tribunal de Paris decidiu agora o contrário, dando razão às famílias das vítimas e aos sindicatos de pilotos.

"Na cerimónia do 01 de Junho de 2021, vamos finalmente poder dizer aos nossos desaparecidos que fomos até ao fim e vamos poder dizer-lhes que a sua memória foi respeitada", declarou Danièle Lamy, presidente da associação Entraide et Solidarité AF447 que representa as famílias da vítimas.

A Air France mantém que não cometeu qualquer erro que tivesse levado à queda do avião e a Airbus considera que a decisão de hoje é "injustificada".

Segundo o Gabinete de Investigação e Análise, o organismo francês encarregado pela investigação técnica do acidente, o avião terá caído devido a um bloqueio provocado pelo gelo que afetou a medição de velocidade do aparelho.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI