França/relações internacionais

Proposta francesa para cessar-fogo entre Israel e Hamas tem apoio

Um bombardeamento da força  aérea israelita provoca destruição no bairro  Al Riman na cidade de Gaza, no dia 16 de Maio de 2021. França apela a um cessar-fogo entre istarelitas e o Hamas.
Um bombardeamento da força aérea israelita provoca destruição no bairro Al Riman na cidade de Gaza, no dia 16 de Maio de 2021. França apela a um cessar-fogo entre istarelitas e o Hamas. Bashar TALEB AFP

As hostilidades entre Israel e o Hamas palestiniano prosseguiram na noite de terça para quarta-feira, numa altura em que a França propõe  ao conselho de segurança das Nações Unidas uma resolução, para  estabelecer  um cessar-fogo. Aliados de Israel, os Estados Unidos continuam a bloquear toda e qualquer declaração sobre ol conflito. 

Publicidade

Com, em pano de fundo os confrontos entre Israel e o Hamas, marcados pelos bombardeamentos da  força aérea israelita contra Gaza e pelos tiros de roquete dos militantes palestinianos, o Conselho de Segurança da ONU tenta desde há oito dias adoptar, sem consegui-lo, uma declaração sobre o conflito.

Aliados de Israel, os Estados Unidos continuam a bloquear toda e qualquer declaração sobre a nova guerra entre israelitas e o Hamas.

A França em coordenação com o Egipto e a Jordânia, apresentou no  dia 18 de Maio uma resolução visando apelar ao cessar-fogo.

Vários países membros do Conselho de Segurança afirmam nao ter recebido o  texto proposto pela França, mas uma  fonte diplomática sublinhou que o documento é curto e simples.

Para além de um apelo ao fim das hostilidades, a proposta de Paris, pede  igualmente que seja facilitado o acesso humanitário às populações que precisam de ajuda.

O embaixador Zhang Jun, cujo país, a China, preside actualmente o Conselho de Segurança,confirmou que, no decurso de uma reunião à porta fechada, o representante da França na ONU apresentou uma proposta, que é apoiada pelas autoridades de Pequim para a obtenção de um cessar-fogo.

Jun precisou também que  o último texto da declaração proposta pela China, a Noruega e a Tunísia, rejeitado no dia 17 de Maio pelos Estados Unidos, permanece  disponível para discussão no Conselho de Segurança.

Para além da China, a Rússia, de acordo com o seu embaixador na ONU, Dmitry  Polyansky,estaria disposta a adoptar a resolução proposta pela França.

Em conversa telefónica, no  dia 17 de Maio  de 2021, durante a qual o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, expressou pela primeira-vez o seu apoio à um cessar-fogo, o Primeiro-ministro de Israel, Benyamin Netanyahu afirmou que o seu país prosseguirá as operações militares contra Gaza, até que a população israelita recupere a tranquilidade.  

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI