França/Justiça

Adiado julgamento do ex-presidente francês Jacques Chirac

O ex-presidente francês Jacques Chirac
O ex-presidente francês Jacques Chirac Reuters

O Tribunal Correcional de Paris adiou nesta terça-feira, por vários meses, o julgamento do ex-presidente francês Jacques Chirac, acusado de ter criado 21 empregos fantasmas, entre 1992 e 1995, e favorecido sete funcionários do seu partido, nos seus últimos anos como prefeito de Paris.

Publicidade

O presidente do Tribunal Correcional de Paris, Dominique Pauthe, considerou "sérias" as dúvidas levantadas pelo advogado de defesa de um dos coacusados no processo, que entrou com um recurso alegando que os fatos suspeitos prescreveram. O caso seguirá agora para a Corte de Cassação, que poderá por sua vez acionar o Conselho Constitucional para verificar se o processo está de acordo com a Constituição francesa.

Pauthe anunciou que vai convocar uma audiência com as partes envolvidas por volta do dia 20 de junho para fixar novas datas para o julgamento.

O ex-presidente Jacques Chirac, que está com 78 anos, não chegou a comparecer ao tribunal. Seu primeiro depoimento estava marcado para quarta-feira.

De acordo com a acusação, Chirac teria desviado os salários pagos em nome de funcionários fantasmas, ou seja, dinheiro público, para financiar sua campanha presidencial.

Cerca de 20 pessoas foram envolvidas no escândalo e várias foram condenadas. Entre elas, Alain Juppé, o novo ministro das Relações Exteriores da França, que em 2004 teve uma pena de 14 meses de prisão com sursis e um ano de inelegibilidade. Na época, Chirac estava protegido por sua imunidade de chefe de Estado.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI