França/Eleições 2012

Associações denunciam visita de líder da extrema-direita francesa a Lampedusa

A candidata do partido de extrema direita francês, Marine Le Pen em visita a ilha de Lampedusa na Itália.
A candidata do partido de extrema direita francês, Marine Le Pen em visita a ilha de Lampedusa na Itália. Reuters

A líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, chegou nesta segunda-feira na ilha italiana de Lampedusa, para denunciar "o fluxo migratório de clandestinos." A ilha é a porta de entrada dos refugiados da África do Norte, que fugiram dos conflitos na Tunísia, Egito e Líbia.

Publicidade

Candidata às eleições presidenciais francesas de 2012, Marine Le Pen é atualmente a favorita nas pesquisas, com 33% das opiniões favoráveis. Líderes da oposição denunciaram a viagem como uma provocação da candidata do partido Front Nacional, conhecido pelas suas posições conservadores e contrárias à imigração. Filha do fundador do FN, Jean Marie Le Pen, ela espera reproduzir o cenário das eleições presidenciais de 2002, quando seu pai obteve uma vaga no segundo turno contra o futuro chefe de estado, Jacques Chirac.

Ao chegar em Lampedusa, Marine foi recebida por uma centena de manifestantes que carregavam cartazes com os dizeres "Fora racistas !" ou "Lampedusa não é racista." Em seguida, eles tentaram acompanhá-la ao centro de detenção de clandestinos na ilha,mas foram interceptados pela polícia. Durante sua visita, depois de conversar com dois representantes dos imigrantes, ela declarou que tinha muita "compaixão' pelos clandestinos, ressaltando, entretanto, que a "Europa não tem capacidade para receber vocês, não temos mais meios financeiros."

A candidata foi recebida pelo prefeito de Lampedusa, Bernardino de Rubeis, membro da Liga do Norte, partido populista italiano. Rubeis está sendo investigado em um processo por incitação ao racismo. A representante do Front Nacional fez do discurso contra a imigração seu palanque eleitoral. Convidada para intervir em diversos programas de TV, ela afirma ter tido acesso a dados exclusivos que mostram um aumento do número de imigrantes na França, acusando o governo de mascarar a realidade. As informações foram desmentidas pelo ministro do Interior Claude Guéant.

Num contexto de crise, as palavras de Marine seduzem as camadas mais populares da França. Para a Associação França Terra de Asilo, "a falta de humanismo de Marine Le Pen não é um projeto de sociedade." Em um comunicado, a organização denuncia o "equívoco dos compatriotas que vivem na pobreza ou temem o desemprego ou uma diminuição do poder aquisitivo. O Front Nacional usou essa situação para criar bodes expiatórios."
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI