Piratas

Turista francesa é sequestrada em ilha turística no Quênia

Policiais quenianos fazem ronda ao norte da cidade de Lamu.
Policiais quenianos fazem ronda ao norte da cidade de Lamu. REUTERS/Flora Bagenal

Uma turista francesa foi sequestrada neste sábado no turístico arquipélago de Lamu, na costa leste do Quênia. A mulher, de 66 anos, se locomovia em cadeira de rodas e vivia parte do ano no arquipélago, segundo informou o ministério francês das Relações Exteriores. A polícia queniana chegou a trocar tiros com os criminosos, mas os sequestradores não foram, ainda, capturados.

Publicidade

Segundo testemunhas, ela teria sido sequestrada por cerca de 10 homens armados na ilha de Manda, que fica em frente à ilha de Lamu e à cidade de Sheila, patrimônio mundial da Unesco.Os piratas teriam, em seguida, fugido em um barco em direção à Somália.

Esse é o segundo sequestro de estrangeiros na região em menos de 3 semanas. No início de setembro, uma turista britânica foi sequestrada e seu marido assassinado em um vilarejo ao norte da costa do Kênia. Eles foram atacados e raptados quando dormiam em um bangalô de um hotel de luxo, situado a 50 km ao norte da ilha de Lamu.

Após o sequestro, o ministério francês das Relações Exteriores divulgou um comunicado desaconselhando viagens a Lamu. O arquipélado fica perto da fronteira com o sul da Somália, região controlada por insurgentes islâmicos shebab, que se opõem ao governo de transição no país.

A autoridades quenianas informaram neste sábado à tarde terem localizado o barco utilizado pelos sequestradores para fugir com a francesa. Dois barcos da guarda costeira queniana cercaram a embarcação dos criminosos  e tiros foram disparados. Segundo informações, alguns sequestradores ficaram feridos, mas conseguiram, ainda assim, ganhar aguas somális. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI