Hotel/ Paris

Ritz vai fechar por dois anos a partir de 2012

Hotel Ritz fica na praça Vendôme, em Paris.
Hotel Ritz fica na praça Vendôme, em Paris. MarkusMark

Um dos mais luxuosos hotéis de Paris, o Ritz, na praça Vendôme, vai fechar as portas por mais de dois anos para reformas. A partir do verão europeu de 2012, a maioria dos 500 funcionários vai ser demitida para viabilizar as obras no estabelecimento.

Publicidade

Serão 27 meses de trabalhos de renovação, essenciais para garantir o prestígio do hotel, em meio à abertura de novos cinco estrelas na capital francesa. O Ritz ficou de fora da classificação “palace”, estabelecida no ano passado para designar os hotéis mais luxuosos da França. Em Paris, nove estabelecimentos são reconhecidos como “palace”.

Propriedade do milionário egípcio Mohammed Al Fayed, pai do último namorado da princesa Diana, Dodi, o Ritz tem 160 quartos, a um valor mínimo de 850 euros a diária. Mesmo assim, a última vez que o local recebeu obras significativas foi há mais de 30 anos, em 1979.

Conforme fontes afirmaram à agência AFP, a fachada, os quartos e a aparência externa do hotel não denunciavam a real necessidade de obras no Ritz. Entretanto, toda a parte de serviços, incluindo a cozinha e a parte elétrica, estava deteriorada.

O restaurante do hotel – o L’Espadon, duas estrelas no Guia Michelin - também será fechado neste período. O valor previsto para a renovação não foi divulgado.

“O objetivo é duplo: perpetuar a tradição de excelência instaurada pelo seu fundador, César Ritz, em 1889, e assegurar aos funcionários um acompanhamento personalizado após o fechamento do hotel”, explicou o presidente do estabelecimento, Franck J. Klein. Ele disse que o número exato de empregados que deverão ser mantidos ainda não foi estabelecido, mas deve ser em torno de 30, para acompanhar as obras e preparar a reabertura do hotel.

O sindicato dos funcionários do estabelecimento espera conseguir o status de “desemprego parcial” para os funcionários, ou seja, apenas enquanto durarem os trabalhos. “Sentimos que a direção que demitir todos, acabar com tudo, para reabrir com novas pessoas”, afirmou o delegado sindical Jacques Lebreton. “A direção não dá a impressão de querer preservar empregos.”

A história do Ritz é marcada por uma longa lista de clientes famosos: da atriz Audrey Hepburn à princesa Diana. A estilista Coco Chanel adotou o local por quase 30 anos e chegou a personalizar os móveis da sua suíte com o seu estilo. Também o casal de escritores americanos Scott e Zelda Fitzgerald não apenas moraram no Ritz como trouxeram Ernest Hemingway, que ajudou a libertar o Ritz dos nazistas em 25 de agosto de 1944. Em homenagem, o bar do estabelecimento tem uma estátua de bronze do escritor, ao lado de uma antiga máquina de escrever.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI