Acesso ao principal conteúdo
França/eleições

Mais de um terço dos franceses aprova ideias da extrema-direita

Marine le Pen, líder do partido de extrema-direita francês Frente Nacional, após discurso em Paris no Dia do Trabalho, nesta terça-feira.
Marine le Pen, líder do partido de extrema-direita francês Frente Nacional, após discurso em Paris no Dia do Trabalho, nesta terça-feira. REUTERS/Benoit Tessier
Texto por: RFI
3 min

Mais de um terço dos franceses se diz de acordo com as ideias do partido de extrema-direita, Frente Nacional (FN), segundo uma pesquisa TNS Sofres para a rede francesa Canal+ publicada nesta quarta-feira.

Publicidade

Cerca de 37% deles aceitam em graus diferentes as propostas defendidas pela candidata à presidência francesa pelo FN, Marine Le Pen, que obteve 17,9% dos votos no primeiro turno, o melhor resultado na história do partido.

O ponto defendido pela extrema-direita que gera maior adesão popular é o de que existe muita gente na França se aproveitando do sistema social. Para 52% das pessoas que participaram da pesquisa há imigrantes demais no país. Já a proposta que provoca a maior rejeição dos franceses é a supressão do Euro e o retorno ao Franco como moeda nacional.

Diante da questão “O FN representa um perigo para a democracia?” 51% dos franceses responderam “sim”, 2% a menos que em janeiro, enquanto 3% a mais responderam “não”, somando 42%. A enquete sobre a imagem do partido revelou que enquanto 6% dos mil entrevistados se dizem “totalmente de acordo”, outros 31% indicam estarem “de acordo”, o que representa a mais alta popularidade da extrema-direita desde 1991, quando esse índice chegou a marca dos 31%. Em 2002, seu pai, Jean-Marie Le Pen, então candidato à presidência pelo partido, federou 28% dos franceses em torno de suas propostas, sem conquistar a mesma porcentagem em votos.

Segundo turno

A apenas quatro dias do segundo turno das eleições, em que o presidente-candidato, Nicolas Sarkozy, do UMP (União para um movimento popular) enfrenta o socialista François Hollande, o momento é de luta pelo eleitorado dos candidatos derrotados no primeiro pleito. Nesta quarta-feira, a UMP declarou  que não quer nenhum acordo nem discussão com o FN visando a formação de uma aliança.

A crescente popularidade da extrema-direita atrai os holofotes para Le Pen e seus mais de 6 milhões de eleitores, embora a líder do FN tenha afirmado nesta terça-feira que votará em branco. Mesmo assegurando que fará tudo para derrotar Sarkozy, pesquisas apontam que 57% de seu eleitorado deve migrar para o candidato de direita, atual segundo favoriton nas pesquisas de intenções de voto.

Em contrapartida, dentre os eleitores do quarto colocado no primeiro turno, o candidato de extrema-esquerda, Jean-Luc Mélenchon, apenas 16% aprovam propostas do FN, enquanto entre os eleitores de Hollande eles são 13%. Cerca de 34% dos partidários do centrista François Bayrou e 45% entre os militantes pro-Sarkozy assinam embaixo de medidas defendidas pela extrema-direita.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.