França/Sociedade

Governo francês adota projeto de lei sobre casamento e adoção gay

O projeto de lei sobre o casamento e a adoção por homossexuais suscita grande oposição por parte da oposição de direita e de líderes religiosos.
O projeto de lei sobre o casamento e a adoção por homossexuais suscita grande oposição por parte da oposição de direita e de líderes religiosos. Getty images/Peter Dazeley

O governo francês adotou nesta quarta-feira o projeto de lei sobre o casamento e a adoção para os casamentos homossexuais, uma das reformas mais importantes da legislação francesa desde a abolição da pena de morte em 1981. O projeto deve enfrentar no Parlamento uma forte oposição da direita e da extrema-direita.

Publicidade

"Trata-se de uma etapa importante para a igualdade dos direitos", declarou a ministra delegada para a Família, Dominique Bertinotti, ao final do conselho dos ministros que discutiu o texto.

O projeto, que será debatido pelos deputados franceses no início de 2013, tem provocado reações exaltadas da oposição de direita e de setores mais conservadores da sociedade francesa.

O texto desagrada representantes da Igreja Católica, dos muçulmanos, judeus e protestantes e também não satisfaz associações de defesa dos direitos civis, que consideram a proposta incompleta. As lideranças representativas dos homossexuais queriam incluir no projeto o direito à reprodução assisitida e à utilização de técnicas como a fertilização in vitro, mas o governo deixou essa etapa para uma legislação futura sobre a família.

Grupos contrários ao projeto têm se manifestado nas ruas e na mídia. Muitos prefeitos - autoridade pública que celebra as uniões civis na França - declararam sua intenção de boicotar os casamentos gays.

Na semana passada, os bispos franceses pediram aos católicos que escrevam aos deputados para que eles tomem consciência da gravidade do que está em jogo. O que mais choca uma parcela dos franceses nem é tanto o casamento, mas a adoção por casais homossexuais, vista como o fim do modelo de família tradicional. Psicólogos e psiquiatras infantis também estão divididos.

Militantes que lutam contra a homofobia lembram que outros dois países europeus de maioria católica, Espanha e Portugal, adotaram o casamento gay, a adoção e a procriação assistida sem que isso significasse uma decadência dos valores familiares.

Segundo uma pesquisa Ifop publicada nesta quarta-feira pelo jornal Le Monde, 65% dos franceses aprovam o casamento homossexual, contra somenet 51% em 1995. Já a adoção por homossexuais é aprovada atualmente por 52% dos entrevistados.

Associações próximas da Igreja Católica já planejam manifestações em várias cidades da França no dia 17 de novembro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI