Fraça/Hollande

Paparazzo de Hollande também flagrou Mitterrand há 20 anos

Fotomontagem do site Le Monde que publica artigo sobre o paparazzi.
Fotomontagem do site Le Monde que publica artigo sobre o paparazzi.

O fotógrafo Sébastien Valiela ganhou os holofotes nos últimos dias não apenas por ter registrado as cenas que denunciaram o caso do presidente François Hollande com a atriz Julie Gayet, mas também porque esta é a segunda vez que ele flagra um chefe de Estado francês em cenas comprometedoras. Em 1994, então com pouco mais de 20 anos, Valiela fotografou o ex-presidente François Mitterrand saindo de um restaurante com sua filha Mazarine Pingeot, fruto de um relacionamento fora do casamento que o socialista mantinha em segredo até então.

Publicidade

O registro de 1994 teve detalhes performáticos. Valiela trabalhou em dupla - da mesma forma como fez as fotos de Hollande. No caso de Mitterrand, enquanto o casal deixava o restaurante, o paparazzi distraiu os seguranças, deixando a missão de dar o clique certeiro para seu parceiro Pierre Suu, que se deitou sobre a calçada em meio às pernas da jovem Pingeot e disparou. As fotos foram publicadas na época pela revista Paris Match e revelaram ao país a história extra-conjugal do presidente de 77 anos.

Valiela sabia do caso havia mais de um ano

Em entrevista ao jornal Le Monde, Valiela contou que a operação para fazer as fotos de Hollande não foi tão complicada. Ele disse que não só ele como vários fotógrafos franceses tinham a informação sobre o affair há mais de um ano. Faltava descobrir o local onde o casal se encontrava. Valiela diz que seguiu um dos agentes de segurança de Julie Gayet e garante que não há nenhum fundamento nos rumores de que Nicolas Sarkozy teria sido o informante. Ele começou o plantão diante do prédio da Rue du Cirque no último dia 26 de dezembro e obteve os cliques antes e depois do ano novo. Novamente trabalhou em dupla, desta vez com Lorenzo Viers. Um deles ficou escondido na rua e o outro, na janela das escadas de um prédio em frente.

Segundo o site Press News, a revista Closer acabou pagando 40.000 euros pelas fotos, preço considerado baixo para o mercado paparazzi. Valiela afirma que temia nem mesmo encontrar algum veículo disposto a publicá-las, devido à tradição da imprensa francesa em evitar exposição da vida pessoal de políticos. Em 1994, a Paris Match publicou as fotos de Miterrand com apenas uma pequena chamada na capa.

Sébastien Valiela é um dos poucos fotógrafos franceses a se dedicar exclusivamente à vida de paparazzi e construiu sua carreira nos anos 2000 nos Estados Unidos, terreno fértil para o mercado de intimidades na imprensa. Ao contrário da França, nos EUA qualquer foto registrada em espaço público é autorizada.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI