França/Terrorismo

Vários projetos de atentados foram desmantelados na França, revela governo francês

Um jihadista do grupo Estado Islâmico com uma bandeira do grupo, na cidade de Racca, na Síria.
Um jihadista do grupo Estado Islâmico com uma bandeira do grupo, na cidade de Racca, na Síria. REUTERS/Stringer

Uma nota divulgada pela Direção Geral da Segurança Interior da França (DGSI) sobre o desmantelamento de grupos terroristas repercutiu na mídia do país e foi confirmada na manhã desta segunda-feira (3) pelo ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve. Segundo ele, todos os dias os serviços de inteligência descobrem e impedem projetos de atos radicais no país.

Publicidade

Intitulado “Projetos de ações terroristas relacionados a filiais sírias”, o documento do DGSI afirma que três sírios foram detidos em plena preparação de atentados na França. Nos últimos meses, relata o órgão, diversos grupos terroristas foram desmantelados. O alvo preferido dos extremistas seriam as cidades de Lille, Nice e a região parisiense.

Lille

Há um ano, um homem foi preso em Lille com um documento que explicava como confeccionar uma bomba e com uma cartilha de conteúdo religioso sobre atentados suicidas. “O suspeito acabava de chegar da Síria, pelo Líbano, onde ele recebeu treinamento. Ele reunia informações sobre alvos na França para realizar uma ação kamikaze”, diz a nota da DGSI.

Carnaval de Nice

O Carnaval de Nice, um dos principais eventos da cidade, na Côte d’Azur, poderia ter terminado este ano em um grande desastre. A Direção Geral da Segurança Interior da França ressalta que este foi o projeto de atentado mais perigoso descoberto até o momento.

Um homem foi preso transportando 900 gramas de um explosivo fabricado em casa dentro de três latas de bebida energética, uma delas envolvida por uma camada de parafusos fixados com fita adesiva. O mesmo tipo de material, conhecido na França como TATP, já foi utilizado em outros ataques, como o atentado de Marrakech, em 2011, que matou 16 pessoas e deixou mais de 20 feridos.

Interrogado, o homem que havia recém chegado da Síria, revelou que planejava um ataque durante o Carnaval de Nice. A ação seria similar à realizada por Tamerlan Tsarnaiev na Maratona de Boston em 15 de abril de 2013, que deixou 3 mortos e mais de cem feridos.

Região parisiense

O jornal francês Le Parisien também relata um outro caso, este não divulgado pela DGSI, na região da capital francesa. Depois de ter sido treinado pelos extremistas do Estado islâmico na Síria, um jovem francês da cidade de Créteil, na periferia de Paris, foi preso, suspeito de planejar um atentado.

Pela internet, o homem estudava possíveis alvos na capital francesa para realizar um ataque kamikaze. Apesar de negar todas as informações coletadas pela polícia sobre suas atividades suspeitas, ele continua preso, publica o jornal.

Lei contra o terrorismo

O projeto de lei antiterrorismo, apresentado em julho por Bertrand Cazeneuve e intensamente debatido pela Assembleia nos últimos meses, será votado nesta terça-feira (4) pelo Senado. A medida visa combater extremistas que agem individualmente. Outro alvo do projeto de lei são sites que fazem apologia ao terrorismo, cujo acesso seria automaticamente bloqueado por provedores, sem a necessidade de autorização prévia de um juiz.

O terceiro ponto da medida é investigar as viagens de potenciais extremistas à Síria e ao Iraque. O passaporte e a carteira de identidade dos suspeitos seriam retirados. E, quando fosse detectado um grave perigo por parte de um estrangeiro com passaporte de um país da União Europeia, ele estaria proibido de voltar ao território francês.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI