França/Terrorismo

Governo eleva nível de alerta em região onde busca suspeitos terroristas

A polícia francesa no posto de gasolina de Villers-Cotterêts, onde foram vistos nesta quinta-feira (8) os suspeitos do atentado contra o jornal Charlie Hebdo.
A polícia francesa no posto de gasolina de Villers-Cotterêts, onde foram vistos nesta quinta-feira (8) os suspeitos do atentado contra o jornal Charlie Hebdo. AFP

O governo francês elevou nesta quinta-feira (8) para o nível máximo o alerta contra atentados na região da Picardie, a cerca de 60 km ao norte de Paris. Os dois jihadistas franceses, suspeitos de serem os autores do ataque à redação do jornal satírico Charlie Hebdo, estariam escondidos na região. Eles foram reconhecidos por um gerente de um posto de gasolina e unidades especiais de elite da polícia francesa foram enviadas ao local.

Publicidade

Segundo a imprensa francesa, policiais de elite da polícia francesa estariam cercando a cidade de Crépy en Valois, onde estariam entrincheirados os dois suspeitos do ataque à redação do Charlie Hebdo. A operação conta com a ajuda de helicópteros e furgões de polícia, indicando uma mobilização intensa no local onde podem estar os irmãos Chérif e Said Kouachi, de 32 e 34 anos.

Nesta madrugada, eles foram vistos na região, em Villers-Cotterêts, e identificados pelo gerente de um posto de gasolina onde pararam por alguns instantes. O gerente informou que os suspeitos estavam “encapuzados e armados com Kalachnikovs e lança-granadas”. Logo depois, eles abandonaram nesta cidade o carro Clio que utilizavam.

Todas as crianças e adolescentes que estavam em aula em Villers-Cotterêts foram enviadas para casa e o governo recomenda que as pessoas não saiam nas ruas.

Identificação dos suspeitos

A polícia informou hoje que dentro de outro carro usado pelos terroristas e abandonado ontem nas ruas de Paris, no início da fuga, foram encontrados bandeiras extremistas islâmicas e coquetéis molotov.

Os investigadores puderam identificar os suspeitos, os irmãos Said Kouachi, de 34 anos, e Chérif Kouachi, de 32 anos, porque a carteira de identidade de um deles foi encontrada ontem em um carro abandonado no norte da capital francesa. A polícia divulgou as fotos dos dois e pede a colaboração da população para localizá-los.

Durante a noite, sete suspeitos de envolvimento com o caso foram presos em diferentes cidades da periferia de Paris. Um adolescente de 18 anos, cunhado de um dos irmãos, se entregou à polícia, mas a responsabilidade dele no atentado de ontem contra o jornal francês ainda não está clara.

O ataque contra o jornal satírico deixou 12 mortos e 11 feridos, quatro deles em estado grave. Na manhã de quarta-feira (7), os dois homens fortemente armados entraram na sede do Charlie Hebdo, um jornal conhecido por seu tom satírico e liberdade de expressão. O semanário já havia sido ameaçado várias vezes por extremistas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI