França/Polêmica

Pressionado, premiê francês reembolsa viagem feita com filhos em avião oficial

Premiê francês Manuel Valls disse que se arrepende de ter viajado com os filhos em um avião oficial.
Premiê francês Manuel Valls disse que se arrepende de ter viajado com os filhos em um avião oficial. REUTERS/Regis Duvignau

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, anunciou nesta quinta-feira (11) que pretende reembolsar parte dos gastos da viagem feita com seus filhos em um avião oficial para assistir à final da Liga dos Campeões em Berlim. O episódio provocou uma onda de críticas, mesmo se o chefe do governo garante que sua estadia na capital alemã também incluiu uma reunião com dirigentes da Uefa.

Publicidade

Manuel Valls afirmou que pagará ao Estado € 2.500, correspondentes às passagens dos dois filhos que o acompanharam a Berlim em um avião do governo para assistir à final da Liga dos Campeões. O premiê afirmou que está atento à reação dos franceses e que, como chefe de governo, deve ter um comportamento exemplar. "Se pudesse voltar atrás, não faria novamente. E para acabar com qualquer dúvida, decidi assumir o custo da viagem dos meus dois filhos", anunciou Valls, numa tentativa de acabar com a polêmica.

O valor do reembolso corresponde à tarifa média de um voo comercial de ida e volta entre Poitiers (centro da França), onde estava o primeiro-ministro, e Berlim. Segundo uma fonte governamental, o custo total da viagem do chefe de governo oscilaria entre € 12.000 e € 15.000.

O caso abalou a imagem de integridade do premiê para a opinião pública francesa. Valls, de origem catalã e torcedor do Barcelona - que venceu a Juventus de Turim por 3-1 na final da Liga dos Campeões -, afirmou que fez uma viagem de trabalho e para passear. O chefe do governo justificou a estadia mencionando uma reunião com o presidente da Uefa, Michel Platini, no estádio de Berlim.

Reações

O ministro francês das Relações Exteriores da França, Laurent Fabius, reagiu imediatamente ao anúncio, dizendo que a decisão de Valls é sábia. O chanceler, no entanto, insinua que o episódio foi uma falha na comunicação do premiê.

A oposição foi mais severa, e estima que a resposta do chefe do governo não foi suficiente. “O reembolso das passagens dos filhos não basta. Ele tem que reconhecer seu erro e pagar sua própria passagem, pois essa viagem não tinha nenhuma razão de ser”, declarou Sébastien Huyghe, porta-voz da partido Republicano, o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy. (Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI