Acesso ao principal conteúdo
França

Comemorações às vítimas dos atentados de há 1 ano em Paris

Polícia francesa por ocasião do assassínio da colega Clarissa Jean-Philippe, a 8 de janeirode 2015, em Montrouge, pelo terrorista Coulibaly
Polícia francesa por ocasião do assassínio da colega Clarissa Jean-Philippe, a 8 de janeirode 2015, em Montrouge, pelo terrorista Coulibaly REUTERS/Charles Platiau
Texto por: João Matos
6 min

Comemorações presididas, este sábado, 9 de janeiro, pelo Chefe de estado, François Hollande, em Montrouge, em memória da agente policial, assassinada por terrorista que no dia seguinte mataria mais 4 pessoas num centro judeu de carne cosher, em Vincennes, onde estará esta noite, o primeiro-ministro, Valls.

Publicidade

Estamos em tempo de comemorações estes dias, com o  Presidente francês, François Hollande, a inaugurar, este sábado, 9 de janeiro, em Montrouge, arredores da capital, uma placa em memoria de Clarissa Jean-Philippe, a agente policial municipal, assassina, há um ano, pelo terrorista Amédy Coulibaly, por ocasião dos atentados jiadistas de janeiro de 2015.

Clarissa Jean-Philippe, foi assassinada, a 8 de janeiro de 2015, vítima do terrorismo quando cumpria o seu dever, declarou o Presidente francês, François Hollande.

Um coro de crianças do município de Montrouge, cantou o Hino nacional, seguido de um minuto de silêncio.

Acompanhava o presidente, os ministros do Interior, Bernard Cazeneuve e da Justiça e Christiane Taubira, o presidente da câmara municpal local e vários eleitos.

A agente da polícia, Clarissa de 26 anos, originária da Martinica. O seu assassino, o jihadista Coulibaly mataria, no dia seguinte, a 9 de janeiro, outras 4 pessoas quando fez reféns um grupo de indivíduos, num centro comercial judeu de carne cosher, em Porte de Vincennes, em Paris.

Enfim, ainda neste quadro comemorativo, esta noite, é o primeiro-ministro, Manuel Valls, que preside cerimónias de homenagem a todas às vítimas dos atentados de nesse mesmo centro kosher, com a participação de ministros, deputados, do líder da oposição Sarkozy e forças vivas da nação francesa.

João Matos, 1 ano depois dos atentados de janeiro de 2015 em Paris

 Entretanto, ainda sobre o centro-talho cosher judaico da Porta de Vincennes, no sul de Paris, aquele foi considerado o herói por ter salvado vários clientes judeus, no estabelecimento, Lassana Bathily,  recorda os momentos dramáticos por que passou.

Lassana Bathily, o herói de 5 de janeiro de 2015, que salvou vidas humanas do terrorismo

 Lassana Bathly, aqui dobrado por Leonardo Silva, e que pelos seus actos de herói, passou de maliano a francês, pois,  obteve, recentemente, nacionalidade francesa, por decreto presidencial.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.