Acesso ao principal conteúdo
França / Calais

Associações obtêm adiamento da evacuação de migrantes em Calais

Vários benévolos da associação "Care 4 Calais" na parte sul da "selva", no dia 22 de Fevereiro de 20166.
Vários benévolos da associação "Care 4 Calais" na parte sul da "selva", no dia 22 de Fevereiro de 20166. REUTERS/Pascal Rossignol
Texto por: RFI
2 min

Pressionado por várias associações de defesa dos migrantes, o Tribunal de Lille recuou hoje a data estabelecida pelas autoridades francesas para a evacuação de cerca de 2. 000 migrantes da "Selva" de Calais.

Publicidade

O governo francês exigia a partida de cerca de cerca de 2.000 migrantes da zona sul de Calais até às 20 horas desta Terça-feira, prometendo -lhes realojamento em várias cidades do País. Mas um grupo de migrantes e 10 associações humanitárias contestaram a ordem de evacuação, e apresentaram um recurso de urgência ao tribunal administrativo de Lille.

O tribunal de Lille acabou por ceder, e indicar que a decisão não seria pronunciada hoje. Segundo uma fonte próxima do caso, a decisão final deverá ser comunicada na quarta ou quinta-feira. As associações de direitos humanos acabaram por ganhar tempo, um tempo precioso que permitirá uma análise mais abrangente do problema por parte das autoridades francesas.
 

E o problema não é fácil : Os migrantes que encontraram abrigo na "selva de Calais", vieram - na sua maioria - da Síria, Afeganistão e Sudão, e querem chegar à Inglaterra. Muitos tentam alcançar o objectivo subindo para cima de camiões ( que são transportados entre os dois países em navios), ou tentando fazer o percurso a pé, à noite, pelo túnel do Canal da Mancha.
 

As associaçôes denunciam soluções inadaptadas para resolver um grave problema humano, que não resolve o problema principal. Por seu turno, o Estado francês avança como argumento que aquele acampamento gigante, conhecido sob o nome de "Selva de Calais" , é insalubre, perigoso, onde há roubos, tráfico de droga e prostituição.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.