Acesso ao principal conteúdo
França

França: "É perigoso controlar o direito de manifestar"

Duas novas jornadas de greves e manifestações marcadas para esta terça e quinta-feira.
Duas novas jornadas de greves e manifestações marcadas para esta terça e quinta-feira. REUTERS/Charles Platiau
Texto por: Carina Branco
5 min

Vários opositores à lei El Khomry receberam notificações que os proibem de manifestar esta terça-feira em Paris. Francisco Gordillo, investigador em filosofia política, tem participado em manifestações contra esta lei "enquanto cidadão e enquanto investigador" e considera "perigoso começar a controlar o direito de manifestar".  

Publicidade

Vários opositores à lei que visa reformar o mercado laboral receberam interdições individuais de manifestar esta terça-feira em Paris. A polícia quer evitar novos confrontos e violências nas ruas da capital. A denúncia foi feita na conta Twitter do grupo AFA Paris/Banlieue.

Francisco Gordillo, investigador em filosofia política, tem participado em manifestações "enquanto cidadão e enquanto investigador" e considera "periogoso começar a controlar o direito de manifestar".

Francisco Gordillo, Investigador em Filosofia Política

Sete sindicatos convocaram duas novas jornadas de greves e manifestações para esta terça e quinta-feira.

Desde o início das manifestações, há dois meses, 1300 pessoas foram detidas para interrogatório, 819 colocadas sob custódia policial e 51 julgadas, de acordo com o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve.

No sábado, um adolescente foi indiciado de "tentativa de homicídio" após a agressão a um polícia em Nantes,  a 3 de Maio. Do lado das forças de ordem, foram abertos cerca de 30 inquéritos, nomeadamente sobre a agressão policial a um adolescente de 15 anos que ficou gravamente ferido a 24 de Março.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.