Acesso ao principal conteúdo
França

Hollande quer o fim do campo de migrantes de Calais

Migrantes residentes no campo chamado "selva" na cidada de Calais, França, 7 de setembro 2016
Migrantes residentes no campo chamado "selva" na cidada de Calais, França, 7 de setembro 2016 REUTERS/Charles Platiau
Texto por: RFI
4 min

O presidente francês François Hollande está hoje na cidade francesa de Calais. O chefe de Estado anunciou que o desmantelamento definitivo do maior campo de migrantes em França, conhecido por "selva" de Calais, deverá ser acabado antes do fim do ano.  

Publicidade

François Hollande esteve na manhã do dia 26 de setembro na cidade francesa de Calais, principal porto de embarque para o Reino Unido.

Esta característica única, leva muitos dos migrantes que tentam acceder ao território britânico a ficar na cidade nortenha, sobretudo na famosa "selva", um bairro da lata que acolhe pelo menos 7000 indivíduos.

A visita do chefe de Estado acontece num contexto muito tenso, depois do governo francês ter anunciado a construção dum muro de betão para proteger os camiões, que entram no porto rumo a cidade inglesa de Dover, das tentativas de intrusão dos migrantes que residam em Calais.

O candidato as primàrias de direita Nicolas Sarkozy, também esteve no local a 21 de setembro, onde criou polémica depois ter declarado que "a questão [do desmantelamento] era de evitar que as fronteiras francesas se tornassam peneiras e que acabemos submersos [pelo fluxo de migrantes]."

Uma atitude que o presidente francês criticou logo quando chegou, convencido que "é possível chamar as pessoas a razão", porque "alem dos excessos políticos e do ruido mediático, ainda é possível explicar algo".

Logo de seguida, François Hollande anunciou que "o governo prepara o desmantelamento do campo da charneca de Calais [também conhecido como selva de Calais] e que o processos irá até ao fim".

Uma forma de responder aos protestos dos habitantes da região de Calais que se manifestaram no dia 5 de setembro passado em acções de bloqueios, a vontade de accelerar a destruição do campo.

O chefe de Estado também insistiu na forma do processo de desmantelamento, que se quer progressivo, pragmático, e em paralelo a construção de centros de acolhimento dos migrantes sobre o território francês.

François Hollande explicou que "não vamos, para desmantelar um campo de 7000 pessoas, multiplicar os campos em todo o território. Serão verdadeiros centros, em duro, limitados a 40 a 50 pessoas, capazes de fornecer apoio para os processos administrativos. E isto que é digno, o que é firmo para que a França possa assegurar os seus deveres."

Por fim, o presidente francês pediu aos britânicos para "assumiram as suas responsabilidades nos esforço humanitário que a França está a fazer e continuará a fazer amanhã" para evacuar o campo.

Confira aqui a declaração de François Hollande.

Hollande quer o fim do campo de migrantes de Calais

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.