França

Prolongado estado de emergência em França

Prolongado estado de emergência em França até junho de 2017
Prolongado estado de emergência em França até junho de 2017 Reuters

Um conselho de ministros especial reuniu-se este sábado no Palácio do governo, em Paris, para prolongar pela quinta vez o estado de emergência em França, em vigor desde os atentados terroristas de novembro de 2015.

Publicidade

O novo primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, até há uns dias, ministro do interior, reuniu hoje um conselho de ministro especial, para analisar a situação da segurança interna e o estado de emergência em vigor, concluindo que o mesmo devia ser prolongado até às eleições presidenciais de maio de 2017.

O primeiro-ministro Bernanrd Cazeveune, explicou no final do conselho de ministros, as razões desta quinta prolongação do estado de emegência, em vigor desde os atentados de Paris, Nice ou S. Denis, de 2015, alegando ameaças terroristas.

O governo vai agora pedir ao Parlamento para se pronunciar sobre esta proposta de prolongação do estado de emergência em França, até depois das eleições presidenciais de maio de 2017, em França.

Bernard Cazeneuve, justificou ainda a iniciativa pelo contexto político excepcional suublinhando:

"Primeiramente, durante os próximos meses o nosso país vai ter um importante encontnro democrático com as eleições presidenciais e legislativas na próxima primavera."

"Este período de campanha eleitoral que será naturalmente marcada por numerosas reuniões públicas e comícios pode também constituir, infelizmente, um contexto de risco de atentados para aqueles que querem ferir o coração dos nossos valores democráticos e princípios republicanos."

"É, portanto, necessário, aos olhos do governo, englobar o periodo completo das operações eleitorais na prolongação solicitada [do estado de emergência],sublinhou o primeiro-ministro, Bernard Cazeneuve.

"Em segundo lugar, perspectivando a data de prolongação, para além das eleições, permitimos ao presidente da República e ao Parlamento, que sairão das próximas eleições, ter o tempo necessário para apreciar a situação, antes de se pronunciarem sobre uma eventual prolongação."

O texto, apresentado pelo governo, fornece, portanto, todas as garantias, ao desenrolamento de um debate parlamentar sereno”, concluiu o primeiro ministro, Bernard Cazeneuve.

Oiçam aqui as declarações do primeiro-ministro da França, Bernard Cazeneuve. 

Bernad Cazeneuve, primeiro-ministro, sobre prolongação do estado de emergência em França

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI